Café com ADM
#

A Matemática como um estudo de caso para a interdisciplinaridade do Curso de Graduação em Administração

A Matemática como Um Estudo de Caso para a Interdisciplinaridade do Curso de Graduação em Administração¹ Vicente Eudes Veras da Silva Resumo O desenvolvimento, nos alunos, da capacidade de aprender nos parece uma síntese dos objetivos psicopedagógicos de qualquer sistema educacional de sociedades que querem preparar pessoas que tenham condições de adaptar-se a mudanças tanto culturais, tecnológicas ou sociais. Por outro lado, estamos diante de uma nova maneira de expressão e compreensão, onde possa haver trocas múltiplas entre professores e alunos e entre as disciplinas de Administração. É profunda a ruptura que se dá quando se passa de uma mente que relaciona matemática a exercícios para uma mente que entende a matemática como resolução de situações-problema. Faz-se necessária, então, a conscientização dos professores sobre a influência de uma aplicação da matemática nas formas de pensamento para que os mesmos se motivem a participar de forma ativa na implantação de situações-problema na forma de estudos de caso aplicados aos cursos de graduação em Administração. Objetivo O objetivo deste estudo é examinar com alguma profundidade como a matemática e o restante do mundo interagem no curso do processo de uma aplicação da matemática nos cursos de graduação em Administração. A proposta é a de implementar um conteúdo único aos cursos de graduação em Administração, ou seja, utilizar uma mesma linguagem tanto nos assuntos abordados como nas avaliações sem comprometer a individualidade e criatividade do professor em sala de aula. Proposta metodológica Proponho que a disciplina seja desenvolvida como um grande estudo de caso (uma situaçãoproblema) com a participação ativa dos alunos nas tomadas de decisão na criação de uma empresa fictícia. Tal estratégia, envolvente e interativa, está adequada às atuais tendências da Administração, empolgando os alunos e fazendo com que eles percebam a necessidade da matemática para o dia-a-dia da profissão que escolheram. Na criação desta empresa, deverão ser analisados os conceitos de custo, receita, lucro, margem de contribuição, margem de lucro, impostos, cálculo do preço do produto, entre outros. Ao substituir a lista de exercícios por um estudo de caso (situação-problema), reforçamos a diferença entre um exercício e um problema, visto que o exercício requer apenas mecanismos que nos conduzem de forma imediata à solução. Um estudo de caso, considerado aqui como uma situação-problema, requer dos alunos a ativação de diversos tipos de conhecimento, de procedimentos, de atitudes e motivações. Ensinar ao aluno do curso de graduação em Administração a resolver problemas consiste não apenas em ensinar-lhe estratégias eficazes, mas em criar o hábito e a atitude de encarar a aprendizagem como um problema para o qual se tem que encontrar respostas. O que ocorre realmente quando fazemos uma aplicação da matemática? Começamos com uma situação, retirada do campo da Administração ou da Economia ou do cotidiano, que desejamos entender ou sobre a qual desejamos atuar. Tentamos então "matematizar" a situação, isto é, examiná-la sistemática, estrutural e analiticamente. Com um problema bem formulado em mãos, passamos a trabalhar nele fazendo uso de todo e qualquer raciocínio matemático adequado. Desta forma, estaremos introduzindo a matemática como ferramenta útil e fundamental para a profissão do administrador e, ainda, estabelecendo relação com outras disciplinas do curso, como Estatística, Matemática Financeira, Introdução à Economia e Teoria Microeconômica, fazendo da disciplina de Matemática um dos pivôs para a interdisciplinaridade no curso de Administração. A abordagem dos muitos tópicos de matemática será feita dentro da carga horária estipulada para as disciplinas, e esta carga horária se mostrava reduzida para tanto conteúdo. Além desta limitação, precisamos lembrar que, para um bom aproveitamento das aulas, o nosso aluno deve ter uma boa formação matemática em nível fundamental e médio, o que infelizmente não ocorre com a maioria. Sendo assim, para atingirmos um de nossos principais objetivos, a melhoria do ensino de matemática, estamos neste segundo semestre de 2002 aumentando de 60 para 90 horas a carga horária de MAT I, igualando à carga horária de MAT II de forma que propicie a ampliação dos conhecimentos dos tópicos de nível superior visando a preparação para as demais disciplinas do curso que utilizam o ferramental matemático. É de fundamental importância que os professores que forem ministrar as disciplinas MAT I e MAT II estejam prontos para enfrentar o desafio de fazer da matemática uma linguagem que será de real utilidade para a vida acadêmica e profissional do aluno; que estejam preparados para contribuir com idéias, experiência profissional em sala de aula e fora dela e que estejam preparados para trabalhar em equipe. "Quando eu irei usar isso?" Quando ouvimos a pergunta acima, na verdade, a afirmação oculta é "Isso é difícil. Eu não gosto disso". A verdadeira questão, a que todo professor de MAT I ou MAT II deveria se perguntar é "Onde se aplica isso?", o que leva a algumas aulas interessantes, tanto para mim como para meus alunos do curso de graduação em Administração. Trazer uma situação-problema na forma de estudo de caso para a sala de aula, por um lado, desperta expectativas nos alunos e também no professor, cria envolvimentos emocionais e intelectuais, exige conhecimentos conceituais, utiliza habilidades matemáticas "fora do programa"; e, por outro lado, desperta o desejo de aprofundar conhecimentos, parece suscitar um crescimento intelectual, pois faz-nos enpenharmos na busca dos "por quês" e "comos". A situação-problema na forma de estudo de caso não deve ficar presa apenas aos cursos de MBA (Mestrado em Administração de Empresas), pois tem espaço reservado em MAT I e MAT II dos cursos de graduação em Administração. Considero estas aplicações um instrumento muito poderoso, uma vez que elas fornecem uma multiplicidade de abordagens onde um dos papéis é o de criar o envolvimento do aluno. Estudos de caso apresentam-se como recurso didático importante, apresentando situações muito próximas da realidade, ou mesmo alguma história verídica, exigindo do aluno um posicionamento frente à situação colocada. A aplicação do estudo de caso tem como finalidades despertar a capacidade de tomar decisões e auxiliar o exercício de reflexão sobre problemas apresentados na forma de "caso". Pode-se enumerar em seis os principais passos no processo de elaboração do estudo de caso até a resolução da situação-problema: formulação, modelação, solução, avaliação, decisão, implementação. 1º Passo: Formulação do problema. Primeiramente, o professor de MAT I ou MAT II deve formular corretamente o problema em estudo. O problema deve ser analisado a partir de um sistema integrado, onde interatuam várias componentes, todas elas interdependentes, para o qual é preciso obter uma solução que satisfaça a todas elas. Nesta etapa devem ficar bem definidos: a) os objetivos que se pretendem alcançar com a resolução do problema b) as restrições (limitações) existentes no sistema em geral c) as relações de interdependência de todas as componentes integrantes da situação-problema Este passo deve ser executado com muita responsabilidade e, obviamente, a formulação inicial será sempre reformulada até que se alcance a que melhor represente a situação real em estudo. 2º Passo: Construção do modelo matemático. Um modelo é uma representação simplificada de uma situação na vida real. Um modelo reflete a essência do problema, representando as relações de interdependência existentes entre todas as componentes da situação em estudo. Para formular matematicamente um problema da vida real, por vezes complexo, é preciso começar por uma representação, a mais simples possível, do mesmo, ou seja, simplificar o problema em estudo. Geralmente, este processo de modelação desenvolve-se em forma de espiral, começando por uma representação simplificada do problema, até se chegar depois de vários ciclos a uma representação mais próxima da situação em estudo na vida real. Este processo de reformulação e remodelação pode repetir-se até que o modelo desenvolvido e as suas soluções representem, o mais fielmente possível, a complexidade do problema em estudo e as soluções implementadas satisfaçam completamente os principais objetivos traçados. 3º Passo: Determinação da solução. Uma vez realizada a formulação matemática do problema, é preciso aplicar métodos e algoritmos que atendam a resolução da situação-problema. Se o modelo foi corretamente formulado, a solução obtida pode ser uma boa aproximação da solução a implementar na situação real. Vale aqui ressaltar que qualquer modelo, como representação do problema, possui um certo grau de incerteza, motivado fundamentalmente pelas simplificações efetuadas. 4º Passo: Avaliação do modelo e da solução. Neste passo serão avaliados, quer o modelo escolhido quer as soluções obtidas. Dependendo das conclusões da avaliação, será determinado o passo a seguir. a) Avaliação satisfatória: proceder à tomada de decisão, que prepara as condições para a implementação da solução obtida na situação real. b) Avaliação não-satisfatória: proceder à reformulação, remodelação e resolução do novo modelo a partir dos resultados obtidos no processo de avaliação. 5º Passo: Tomada de decisão na solução encontrada. Uma vez concluída satisfatoriamente a etapa de avaliação, é preciso elaborar um relatório bem documentado que possibilite a implementação da situação obtida na situação real. Este relatório deve incluir o modelo e um procedimento para a tomada de decisão, o que significa a realização de todas as ações necessárias para implementar os resultados do estudo de caso. 6º Passo: Implementação. Neste passo efetua-se a implementação das soluções obtidas usando a metodologia elaborada. No processo de implementação, é preciso envolver ativamente as disciplinas envolvidas no estudo de caso. Perfil, competências e habilidades do aluno Ao término do primeiro período (MAT I) e do segundo período (MAT II), os alunos deverão estabelecer uma comparação entre a teoria matemática desenvolvida em sala de aula e a prática de uma empresa real. Espera-se, com a implantação de uma matemática na forma de um estudo de caso, o seguinte perfil dos alunos ao final do curso de graduação em Administração: formação humanística e visão global que o habilitem a compreender o meio social, político, econômico e cultural onde está inserido e a tomar decisões em um mundo diversificado e interdependente competência para atuar profissionalmente nas organizações, além de desenvolver atividades técnico-científicas próprias do administrador competência para atuar de forma empreendedora, analisando criticamente as organizações, identificando oportunidades, antecipando e promovendo suas transformações competência para atuar em equipes interdisciplinares competência para compreender a necessidade do contínuo aperfeiçoamento profissional e do desenvolvimento da autoconfiança Com o perfil acima descrito, esperamos que, com uma matemática voltada para a soluçãoproblema de um estudo de caso, os alunos adquiram competências e habilidades para: expressar-se corretamente nos documentos técnicos específicos, bem como nas relações interpessoais, de forma a auxiliar na interpretação da realidade das organizações utilizar raciocínio lógico, crítico e analítico, operando com valores e formulações quantitativas e estabelecendo relações formais e causais entre fenômenos interagir criativamente em face dos diferentes contextos organizacionais e sociais compreender o todo administrativo de modo integrado, sistêmico e estratégico, bem como suas relações com o ambiente externo lidar com modelos de gestão inovadores resolver problemas e desafios organizacionais com flexibilidade e adaptabilidade ordenar atividades e programas, identificar e dimensionar riscos para tomada de decisões selecionar estratégias adequadas de ação visando atender interesses interpessoais e institucionais; selecionar procedimentos que privilegiem formas de atuação em prol de objetivos comuns; articular o conhecimento sistematizado com a ação profissional Tempo de mudanças O conhecimento por parte do professor de Matemática Aplicada à Administração (MAT I ou MAT II) dos processos envolvidos na resolução de problemas e das dificuldades que os alunos encontram nos mesmos permitirá que a tarefa seja apresentada pelo professor de forma a minimizar estes percalços; por outro lado, se for facultado ao aluno a existência destas dificuldades, acredito que um esforço conjunto permitiria um melhor rendimento na resolução de um estudo de caso. O tipo de estratégia e quais os pontos relevantes deverão ser selecionados pelo professor baseados nas suas experiências sobre o estudo de caso. Caso as dicas selecionadas não estejam trazendo o resultado esperado, o professor deverá reavaliá-las e determinar a existências das que poderão auxiliar o aprendizado. Acredito que a matemática, desta forma, desenvolve o conjunto de saberes e conhecimentos necessários para que, ao concluir o curso de graduação em Administração, o administrador possa reconhecer e definir problemas, equacionar soluções, pensar estrategicamente, introduzir modificações no processo de trabalho, atuar preventivamente, transferir e generalizar conhecimentos, além de, é claro, apresentar raciocínio lógico, crítico e analítico para operar com valores, formulações matemáticas para estabelecer relações formais e causais entre fenômenos e para expressar-se de modo crítico e criativo diante dos diferentes contextos organizacionais e sociais. É preciso reconhecer a urgência da elevação do nível científico, cultural e técnico da população para que se tornem inadiáveis novas formas de ensino-aprendizagem da matemática aplicada à Administração. Nessa nova realidade, o curso de graduação em Administração deixa de ser informativo e transforma-se num lugar de análise crítica e produção de informação. Com isso, os alunos adquirem o poder de tomada de decisão através da situação-problema de um estudo de caso. Deve ficar claro tanto para o educador quanto para o educando que a matemática através do estudo de caso deve ter uma postura reflexiva, crítica e metodológica e uma linguagem segura nas raízes das questões, examinando a dimensão interdisciplinar. Enfim, no mundo cada vez mais globalizado, com a revolução tecnológica e a árdua busca pela competitividade, o ensino-aprendizagem da matemática a partir da formulação de situaçãoproblema requer um professor de MAT I e MAT II aberto a promover estas mudanças em seu currículo. Segundo Chiavenato (1997, p. 24): "Mudança é a passagem de um estado para outro. É a transição de uma situação para outra situação diferente. Mudança representa transformação, perturbação, interrupção, fratura. A mudança está em toda parte: nas organizações, nas cidades, nos hábitos das pessoas, nos produtos e serviços, no tempo e no clima, no dia-adia." Bibliografia CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração. 4ª ed. São Paulo: Campus, 1997. ___________________ (1) Este artigo foi publicado na Revista Nacional da ANGRAD - Associação Nacional dos Cursos de Graduação em Administração - Volume 3, Número 3, jul-set 2002.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.