Teoria comportamental – Comunicação e interação nas organizações

A Teoria Behaviorista da Administração não deve ser confundida com a escola behaviorista, que se desenvolveu na Psicologia a partir dos trabalhos de Watson

O objetivo deste artigo é apresentar uma rápida apreciação sobre o estudo da teoria behaviorista, com enfoque nas relações humanas e comportamentais administrativa.

Dessa forma, dando ênfase na satisfação dos colaboradores dentro do contexto organizacional.

A Teoria Behaviorista da Administração não deve ser confundida com a escola behaviorista, que se desenvolveu na Psicologia a partir dos trabalhos de Watson. Ambas se fundamentaram no comportamento humano. Porém o behaviorista que Watson fundou, trouxe a Psicologia uma metodologia objetiva e cientifica baseada na comprovação experimental em oposição ao subjetivismo da época, mas centrando-se no individuo, estudando seu comportamento (aprendizagem, estimulo e reações de respostas, hábitos etc..) de forma concreta e manifesta no laboratório, e não através de conceitos subjetivos e teóricos como (sensação, percepção, emoção, atenção etc..).

A Teoria Comportamental da Administração tem inicio com Hebert Alexander Simon, Chester Barnard, Douglas Mcgregor, Rensis Likert, Chris Argyris são autores importantíssimos desta teoria. Dentro do campo motivação humana salientam-se Abraham Maslow, Frederick Herzberg e David Mcclelland.

Abraham Maslow apresentou a teoria da motivação segundo a qual, as necessidades humanas estão organizadas e disposta em níveis em uma hierarquia de importante influencia.

1ª Necessidade de Auto realização: e a necessidade em que o individuo procura se tornar aquilo que deseja ser ou alcançar um determinado objetivo.

2ª Necessidades de Auto Estima: esta ligada a estima de reconhecimentos das nossas próprias capacidades, ou a estima do reconhecimento das outras pessoas a nossa capacidade.

3ª Necessidades Sociais: são as necessidades de afeto, amor, sentimentos podem ser categorizadas por uma simples participação em grupo.

4ª Necessidades de Segurança: estão vinculadas as necessidades de ordem, conservação e estabilidade e a necessidade das pessoas se sentirem seguras.

5ª Necessidades Fisiológicas ou Básicas: são as necessidades primarias do individuo, atividades que desempenhamos para nossa sobrevivência.

Frederick Herzberg formulou a teoria dos dois fatores para explicar o comportamento das pessoas no local de trabalho. Sendo eles fatores motivacionais e fatores higiênicos:

Fatores Motivacionais: referem-se atividades desafiantes e estimulantes do cargo desempenhado.

Fatores Higiênicos: esta relacionado ao ambiente de trabalho, salario, benefícios recebidos, supervisão, colegas e o contexto geral que envolve o cargo ocupado.

Diante de todas as teorias apresentadas, a relação do individuo com o local de trabalho possui uma grande importância, pois e ali, que passa maior parte de seu dia. Mais mesmo assim, encontramos problemas nas organizações que atrapalha a boa convivência entre gestores e colaboradores.

Atentamos que nas organizações, a ausência de comunicação entre gestores e colaboradores provoca queda de produtividade e insatisfação do funcionário. A maior causa de insatisfação hoje é a falta de reconhecimento, em decorrência a este fator isso pode fazer com que o colaborador perca animo e desinteresse pelo trabalho.

Ao inserir novas técnicas de troca continua de informações entre gestores e colaboradores a respeito das questões organizacionais, promoveram um ambiente mais harmonioso havendo assim, um melhor desempenho das atividades e o aumento da lucratividade.

Para Maslow “O individuo será sempre motivado, pelas necessidades que se apresentarem mais importantes para ele”.

Conclusão

Ao longo do texto, conseguimos observar que uma boa gestão aplicada corretamente dentro de uma organização, trás benefícios operacionais e relacionais tanto ao individuo quanto para a equipe organizacional sanando assim problemas futuros.

Exibir