Redes sociais: falta de atribuição da autoria preocupa especialistas

Em tempos de redes sociais e compartilhamento de fotos, textos e vídeos, todo cuidado é pouco para não ferir os direitos da fonte e dos autores. De acordo com o sócio-diretor da Legallabs Consultoria Ltda, Omar Kaminski, um dos maiores equívocos na era 2.0 é a questão da citação da fonte

“O problema é que nas redes sociais há muita troca de informações, que se traduzem em trabalhos autorais de terceiros. Com isso, não apenas a atribuição de autoria acaba se perdendo, como há a maior possibilidade de atribuições errôneas, ou mesmo plágio”, reforça.

No caso de utnina2ilização de imagem, além dos direitos autorais do fotógrafo (ou até mesmo do objeto da foto) há o direito de imagem do fotografado, quando pessoa. Kaminski afirma que podem existir “riscos” para qualquer um dos envolvidos e que a publicação indevida pode ser rastreada, identificada e gerar condenações na justiça.

Para evitar tais constrangimentos, é fundamental firmar um contrato de cessão de imagem, pormenorizando e restringindo sua veiculação. No caso de crianças com menos de 18 anos, é preciso conseguir a assinatura do responsável legal.

Um erro dos autores, na era digital, é não se preocupar em relacionar seu nome à obra produzida, além de ser displicente em relação a eventuais usos comerciais do seu trabalho. “O que é certo é que os direitos autorais também abrangem direitos morais no que diz respeito a necessidade de vincular o autor à obra produzida. E às vezes o autor tem que correr atrás disso”, conclui.

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Isabela Pimentel

    Isabela Pimentel

    Isabela é Jornalista pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Bacharel e Licenciada em História pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio). Com sete anos de experiência em Comunicação Corporativa, especialmente nas áreas de Ciência e Saúde, já atuou em empresas do setor como Fresenius Medical Care (FMC), Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e Sociedade Brasileira Pró-Inovação Tecnológica (PROTEC) . Estuda os impactos da filosofia da comunicação integrada no contexto organizacional e possui curso de Jornalismo Científico pela World Federation of Science Journalists (WFSJ). Consultoria em produção de conteúdo (especialidade: ciência e saúde), comunicação interna e institucional, assessoria de imprensa, marketing, redes sociais e memória empresarial para diversas empresas. Coordenação, edição e produção de conteúdo do Portal Comunicação Integrada.

    café com admMinimizar