Os ambientes econômico e político-legal de marketing

Decorrente das repentinas alterações contemporâneas, as organizações devem constantemente realizar análises de mercado para se prevenirem de mudanças inesperadas

Realizar a análise de mercado é uma das primeiras ações de uma empresa antes de ingressar em outro país, ou mesmo, dentro do território nacional, seja em outro município ou em outro estado. Por isso, a firma deve seccionar os ambientes de estudo em áreas distintas, porém, correlatas, como o ambiente econômico e o ambiente político-legal.

Para Kotler et al. (2005), o ambiente de marketing consiste em fatores e forças externas que afetam, negativa ou positivamente, a administração de uma empresa, no que se refere a desenvolver e a manter relacionamentos de sucesso com seus clientes-alvo. O referido ambiente oferece tanto oportunidades quanto ameaças, sendo que companhias de sucesso sabem a real importância da constante observação e adaptação às mudanças ambientais.

De acordo com a vasta literatura de marketing, tem-se a divisão entre macroambiente e microambiente, sendo que o primeiro é aquele que compreende os ambientes econômico e político-legal.

O ambiente econômico é um dos que mais afeta, negativa ou positivamente, os negócios, pois, sobre esse ambiente, não é possível exercer controle. Os fatores econômicos, segundo Chiavenato (2007), referem-se à situação da economia (em recessão, recuperação, prosperidade, ou depressão), às tendências dos preços (inflação ou deflação), às políticas fiscais e monetárias, entre outros. Além disso, os gastos dos consumidores e o crescimento da renda exercem influência significativa nos negócios de uma empresa.

No que tange o ambiente político-legal, os aspectos políticos se referem a decisões governamentais a nível federal, estadual e municipal, as quais têm a capacidade de interferir nas operações de uma empresa. Do mesmo modo, a legislação também interfere nas atividades corporativas, pois atinge diretamente as localizações das empresas, previne a poluição, regula a publicidade, protege os consumidores e dispõe de outros deveres e obrigações. Assim sendo, a estratégia empresarial adotada por uma companhia se defronta com certos impedimentos legais, os quais podem contribuir ou restringir a formação de novos negócios.

Portanto, analisar esses dois ambientes é de extrema importância para as organizações antes de se colocarem no mercado. Cobra (1992) afirma que exercer previsões econômicas racionais é a única saída para antecipar o que está por vir na economia. Para isso, existem inúmeros instrumentos e dados secundários que auxiliam no estudo desses fatores, tais como os sites: Trading Economics, XE Corporation, The Heritage Foundation e Euromonitor; e demais fontes, como: a Organização Mundial do Comércio - World Trade Organization, o Banco Central, entre outros.

Ao realizar a análise dos macroambientes econômico e político-legal de marketing, as empresas, sejam elas de pequeno ou de grande porte, estão se adiantando de futuras mudanças econômicas, políticas e legais, podendo obter vantagens frente a outras organizações. Logo, estudar o mercado também se torna um diferencial competitivo no mundo dos negócios.

Fontes:

CHIAVENATO, I. Administração: teoria, processo e prática. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.
COBRA, M. Administração de marketing. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1992.
KOTLER, P. et al. Principles of Marketing. 4. ed. Harlow: Pearson Educated Limited, 2005.

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Matheus Cristofolli

    Matheus Cristofolli

    Profissional bacharelando em Administração com ênfase em Comércio Internacional que possui experiência profissional no Brasil e no exterior. Dispõe de vivência em processos administrativos, logística interna e externa, sistemática de importação e exportação, finanças e negociação internacionais, estudo e análise de mercados e prospecção de fornecedores e clientes.
    café com admMinimizar