Feito é melhor do que perfeito?

Eu achei que tinha entendido este argumento, mas para um cara chato (que se acha perfeccionista) essa não é a frase mais legal de ler. O perfeccionismo encara a vida exatamente de forma oposta, o pensamento que predomina é: “Se for fazer, faça o melhor que puder!”. Será que é possível uma tática de vida que não torne antagônica estas duas formas de pensar? Será que elas são opostas mesmo?

Um tempo atrás li esta frase em um livro que contava sobre história de Mark Zuckemberg e seu empreendimento de maior sucesso, o Facebook. Pouca gente sabe, mas Mark teve ajuda de uma mulher muito importante para tornar sua rede social algo lucrativo e com uma cultura de inovar constantemente, o nome dela? Sheryl Sandberg e é dela a frase que dá o título deste artigo.

Sandberg, a número dois no comando do Facebook, gostava de afirmar que, em questão de produção, “é sempre melhor feito do que perfeito.” Esta ideia implantada na cultura da empresa permitiu que diversas novidades fossem trazidas ao público, ao mesmo tempo que muitos erros ocorreram, permitindo o aprendizado necessário em qualquer lugar que preza pela inovação.

Eu achei que tinha entendido este argumento, mas para um cara chato (que se acha perfeccionista) essa não é a frase mais legal de ler. O perfeccionismo encara a vida exatamente de forma oposta, o pensamento que predomina é: “Se for fazer, faça o melhor que puder!”. Será que é possível uma tática de vida que não torne antagônica estas duas formas de pensar? Será que elas são opostas mesmo?

Quando você vai lendo mais e entendo melhor a filosofia exposta por Sheryl, você percebe que a visão imposta aqui não é de “fazer de qualquer jeito” ou ainda “fazer por fazer”. Embora essa seja a primeira interpretação que pode ser realizada, a intenção da frase não é essa. O objetivo é mostrar que, a menos que você realize algo, a menos que você inicie em algum momento, diversas desculpas irão aparecer e serão barreiras para o star inicial.

O perfeccionismo é algo interessante e até pode ser benéfico quando nos faz agir com nossas forças para entregar o melhor possível. No entanto, existe algo de problemático neste pensamento que é a inatividade que ele proporciona. Diversos negócios, sonhos e projetos não saem do papel por que “ainda não é a hora”, “não tenho os recursos” ou “quem sabe daqui a pouco.”. Esta ideia de precisar deixar algo 100% perfeito para lançar, pode ser o stop antes do start, o fim antes do começo, a morte antes da vida.

Um ponto importante é que, o fato de começar e realizar algo sem a perfeição, não significa estagnação. Perceba que o Facebook vem evoluindo ao longo do tempo, e de formas que as vezes você nem nota. Assim como a Microsoft, Apple e Samsung, todos mantém a evolução de seus produtos, buscando a perfeição ou a melhoria de forma contínua. Mas, todos sem exceção, tiveram um começo, um início, algo que foi feito antes de ser perfeito. E se você tiver idade suficiente, vai lembrar de como o Windows 97 era ruim, O Lisa (computador da Apple) era horrível e como a Samsung falhou em seus primeiros mobiles. Todos iniciaram e vem melhorando desde então.

Porque não fazemos assim?

A frase “feito é melhor do que perfeito” denota a importância de fazer, de criar, de realizar, de vencer os medos e as inseguranças que criam barreiras para aqueles sonhos e metas que você tem e sabe que precisa alcançar. Os nossos temores criam diversas barreiras, uma delas é a ideia de que há, e haverá, tempo para fazer depois. “Podemos esperar!” a mente insegura diz, e aos poucos este receio toma espaço até que paralise cada ação e impeça que qualquer coisa seja feita.

Sua mente, se for parecida com a minha, já deve ter criado algumas “razões” para não agir. A protelação – o deixar para depois – faz com que a realização não aconteça, faz com que o negócio que poderia mudar sua vida não ocorra, faz com que aquele regime não comece, e que aquela amizade nunca fique colorida. Para isso, nosso cérebro encontra todo o tipo de justificativas como:

– “No momento certo eu faço…”

– “Assim que eu tiver mais condições…”

– “Estou esperando X para que possa fazer Y”…

E assim vamos nós, trabalhando em um lugar que nos deixa cada vez mais vazios de nós mesmos, deixando de lado aquela faculdade que sempre quisemos fazer, ou abandonando o sonho daquela viagem para o exterior. Se você já pensou assim, saiba que há solução para seu problema.

Faça Algo, ou emagreça tentando!

Seja por medo de tentar, seja por buscar a perfeição, ficar parado é a maior besteira que você pode cometer. Fazer algo, vai, no mínimo, lhe gerar boas histórias, experiências valiosas e gasto de calorias. Sendo assim, se você não obter sucesso, ao menos você se movimentou e emagreceu!

Brincadeiras a parte, listei cinco dicas para lhe ajudar a sair da inércia. Saca só:

1. Entenda que ter medo não é algo ruim. Ruim mesmo é ser dominado pelo medo. É quando você é vencido pelo temor que as desculpas começam a surgir. Sendo assim, controle o medo. Tudo o que você não controla, acaba controlando você.

2. Apenas comece. Começar é colocar algo no papel, e dar um prazo para que ele saia dali e vá para a próxima fase. Não tenha medo de pesquisar sobre o que quer fazer, busque informações, converse com pessoas, troque ideias e se inspire.

3. Se comprometa publicamente. Não precisa publicar no seu seu Facebook mas conte a alguém, que seja de sua confiança, o que pretende realizar. Diga como está pensando em fazer isso se tornar real e escute.

4. Escute, pondere, avalie. Nem sempre você estará cercada de pessoas que querem ver você crescendo ou realizando seus objetivos. O mundo está cheia de gente chata e “zoiuda”, tome cuidado com pessoas amplamente negativas, elas tendem a colocar empecilhos. A grande inteligência aqui está em reconhecer quem é amigo de verdade e quem é apenas um colega. Amigos vão sim abrir seus olhos quando suas ideias forem idiotas, vão lhe puxar a orelha mas sempre tentando lhe ajudar a seguir em frente. Já os colegas, mesmo que lhe empurrem tem o objetivo de lhe paralisar, de criar estagnação. Por isso, escute, pondere e avalie cada opinião e, antes de aceitar, faça as seguintes perguntas à você mesmo:
a) Esta pessoa me ama e demonstra isso de forma coerente?
b) Esta pessoa tem conhecimento sobre o que opinou?
c) Esta pessoa me ouviu antes de falar o que pensa?

5. Comece agora. Não amanhã, não segunda, não depois das férias, não depois…agora. Faça, mesmo que não fique perfeito, faça. Se você ainda estiver com receio, indico que visite o cemitério. Dê uma olhada por lá e pense no tanto de sonhos, ideias, projetos e realizações que estão enterradas ali. Diversas pessoas ali, tiveram a chance de realizar, mas hoje, seus sonhos e projetos já não são mais…nem feitos, nem perfeitos. Mas os seus ainda podem!

Concluindo

Quero encerrar falando que sai de meu último emprego para montar 3 negócios. Tenho alegria de informar que dois deles estão caminhando bem. Não é fácil, tem dias que surgem propostas de trabalhos fixos bastante interessantes. Nestas horas eu penso no conforto, na tranquilidade de ter um salário fixo, férias e etc. Não tenho absolutamente nada contra quem escolhe este estilo de vida, mas tenho em mim uma contínua vontade de criar, de desenvolver de empreender. Para alguém como eu, em algum momento, é preciso tentar.

Eu sei que não vai haver um ambiente totalmente apto para que eu possa empreender. A busca por financiamento está prestes a começar, vou precisar de paciência e determinação para abrir a empresa e correr atrás de toda a papelada e para buscar parceiros e clientes…sim, eu penso em desistir sim. Mas não posso, preciso fazer, preciso que seja feito, mesmo que não esteja perfeito.

Nos próximos artigos estarei contando um pouco de como está sendo montar minha nova empresa, das dificuldades, dos planejamentos, e dicas de como conseguir reduzir custos com a proposta do Lean Startup, tudo esperando que você se empolgue, receba motivação e arrisque também. O mundo precisa de menos gente perfeita, e mais gente que faz, faz e faz de novo, melhorando a cada nova versão. E se alguém disser que você não está pronto, diga que você está apenas começando.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento