Existe um tesouro qualitativo dentro de cada negócio
Existe um tesouro qualitativo dentro de cada negócio

Existe um tesouro qualitativo dentro de cada negócio

Uma das preocupações da grande maioria dos empreendedores é a questão da qualidade do negócio, pois sabem muito bem da necessidade de aprimorar um melhor serviço ou produto, bem como os processos internos da gestão de equipe e melhorias contínuas do empreendimento a que servem.

Uma das preocupações da grande maioria dos empreendedores é a questão da qualidade do negócio, pois sabem muito bem da necessidade de aprimorar um melhor serviço ou produto, bem como os processos internos da gestão de equipe e melhorias contínuas do empreendimento a que servem.

Surge então uma espécie de síndrome que afeta o empreendedor, é o desejo sobre o “que não tem”, é aquilo que falta, uma mentalidade de escassez fazendo com que se esqueça de enxergar o negócio em si.

Este empreendedor fica mais focado na escassez do que na possível fartura, acha e pensa que tudo é muito pouco, existe um jargão que diz: “pense grande”, mas o grande mal é que só fica nos pensamentos futuros e deixa de observar o agora, por isso, é necessário um equilíbrio.

Existem aqueles que buscam incessantemente o conhecimento, em detrimento de deixar de colocar em prática gerando aprendizados, isto é contra progresso, buscar evoluir com mais conhecimento sim, mas a prova é que legitimará a experiência trazendo melhores resultados e preparando para novos tempos.

Numa analise mais positiva é o estereótipo que todo empreendedor possui – a mente e comportamento de visionário, sempre pensando a frente anos luz, com formulações de ótimas metas e bem fundamentado no propósito do negócio.

Infelizmente para alguns essas metas tornam-se um vicio em si mesmo, tornando-se o futurista da empresa a que predica de forma mecanicista e deixando de fazer o que precisa ser feito no cotidiano do empreendimento e eximindo-se de acompanhar mais a equipe e os liderados no cotidiano.

Já dizia o pensador estoico Marcus Aurelius (imperador em 161 d.c.):

“O ser humano pensa em progredir, evoluir, conquistar e ganhar sempre mais. Entretanto, não pensa no fundamental: manter o que já possui”.

Para elevar a padrões de qualidade e excelência nos serviços ou produtos a serem entregues ou o cuidado e manutenção dos bens tangíveis ou intangíveis é necessário um olhar para dentro, são questões como:

- Podemos desfrutar o que já existe e foi conquistado?

- É possível aprimorar o cenário atual para aperfeiçoar mais os serviços?

- Dá para aproveitar o que já temos em ampliar organicamente o negócio com menores esforços e diminuindo os custos?

- Usar as competências já existentes gerará melhor produtividade?

- Como melhorar com o que possuo para ter mais qualidade de vida?

As indagações são tantas e o empreendedor pode valorizar mais seu próprio negócio encontrando respostas e usando mecanismos, ferramentas, bens móveis ou imóveis, técnicas e fórmulas que já os tem, pois se fizer um inventário do que já possui com certeza se deparará com um mapa para o futuro menos atribulado e mais seguro, e como dizem os estoicos “com menos sou mais e com mais sou menos”.

Bom trabalho e grande abraço.

Adm. Rafael José Pôncio

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Rafael José Pôncio

    Rafael José PôncioAdministrador Premium

    Empreendedor e Administrador de Empresas, com MBA em Franquias, e, atualmente Mestrando em Administração.

    café com admMinimizar