A Gestão das Assessorias de Comunicação e Marketing

A gestão das assessorias de Comunicação e Marketing vem sendo praticada pelas empresa, quer seja pública ou privada, nas últimas décadas, tendo sido proposta pelos intelectuais da comunicação e do marketing e, que apregoam diferentes abordagens e diferentes enfoques em relação ao tema, dando ênfase a um ou outro aspecto que deve ser priorizado pelas instituições que desejem sobreviver no mundo da informação. O homem é um ser em constante transformação, ou, como diria Paulo Freire, é um ser inacabado, (1979:51). Em decorrência, tudo o que seja inerente ao ser humano, também se adapta às suas metamorfoses. Nesse sentido, os Direitos Humanos, ao longo do seu processo de afirmação histórica, sofreram significativas mudanças conceituais para que hoje possam ser entendidos como direitos fundamentais da pessoa humana, sem os quais a vida do homem padece de dignidade. Nesse contexto, as Organizações vêm enfrentando mudanças nos panoramas políticos, econômicos, sociais, tecnológicos, culturais, demográficos e ecológicos (Hall,1984), resultante de um contexto de rápida mutação e repleto de incertezas e oportunidades. Mudar, alterar crenças, pressupostos e procedimentos são considerados hoje um processo contínuo para as pessoas e as organizações. O mundo contemporâneo caracteriza-se essencialmente pela velocidade das mudanças, pelas incertezas, pela competitividade global e a imprevisibilidade das situações. Esta atual dinâmica do contexto mundial impõe uma nova configuração no mundo dos negócios e vem desestabilizar o marasmo das organizações. Grandes desafios são impostos e respostas mais rápidas são cada vez mais exigidas pelos mercados e sociedades, nesse processo de integração com o ambiente. Na arquitetura da gestão de pessoas, o indivíduo, assim, tem fundamental importância no processo de comunicação, considerando-se que as condições organizacionais, sobretudo a sua cultura, serão forças impulsoras ou restritivas à expressão da criatividade. Um dos grandes desafios dos gestores contemporâneos é sem duvida a gestão do invisível. Dificuldades em ilustrarem a gestão do invisível contraposta a uma gestão centrada em torno dos dados concretos visíveis quantificavam e reportavam nos demonstrativos e sistemas de informações tradicionais das organizações. No entanto o desafio do gestor parece estar em descobrir como atuar sobre o todo, tanto visível como invisível. Não estaria a essência das organizações e dos países exatamente nos aspectos invisíveis do seu ser? A sociedade participativa corrobora para o enfrentamento dos processos de mudanças, promovendo a necessidade de uma comunicação integrada de marketing para com os colaboradores internos, e como conseqüência refletindo positivos na promoção da melhoria na qualidade de vida dos clientes externos utilitários dos produtos e serviços disponibilizados pela suas organizações. O ingresso da humanidade na Era da Informação é um fato, mas ainda apenas para uma pequena parcela da população. As novas tecnologias, em particular a Internet, vieram para ficar e já começaram a alterar o comportamento da sociedade como um dia fizeram o telefone, o rádio e a TV. Há 100 anos, ninguém imaginava que o desenvolvimento tecnológico nos daria a alcunha de Sociedade da Informação. Agora temos uma infinidade de soluções digitais cada dia mais surpreendentes e avançadas. Entretanto, devemos estar atentos para não nos iludirmos confundindo progresso com pirotecnia. Se esse conhecimento não for compartilhado, corremos o risco de ratificarmos o abismo que separa as organizações dos seus clientes/usuários. Muita gente se pergunta sobre o Marketing e sua importância, e mesmo se isso interessa as organizações públicas. A questão é, se você não fala da sua organização ou não a apresenta ao seu público como vai conquistar a efetividade ? . "Eu vejo que não existe diferença no fazer Comunicação e Marketing entre as empresas públicas ou privadas. Todas as empresas surgiram de uma idéia e são compostas de pessoas. Essas pessoas têm aspirações, idéias e necessitam se comunicar". No mundo competitivo que vivemos não dá para não se preocupar com a imagem, o aprendizado da cidadania é uma realidade e cada dia mais nossos clientes/usuários aprendem a importância dos processos participativos, bem como a usar de todos os seus direitos. Apresentar a organização de forma adequada, competente e dinâmica, formando opinião junto ao público em geral, isto é publicidade. Implantar canais de comunicação que propiciem e facilitem a relação organização/cliente/usuário compete às áreas de comunicação e marketing, hoje fundamental tanto para as organizações públicas quanto privadas. Em plena era da informação, é fundamental que se democratizem as ferramentas tecnológicas, um dos principais requisitos do novo mercado de trabalho, para que os novos recursos de comunicação e tecnologia não se transformem em um fator de aprofundamento de exclusão social. Neste olhar os profissionais de comunicação e marketing ressaltam o elo entre o saber, entender, e transmitir informações e ações das organizações a qual encontram diante da missão de zelar pela imagem organizacional. Diante fica a reflexão, para os gestores em compartilharem e valorizarem estes profissionais que com dedicação esmeram em coletar, analisar, transformar dados e informações invisíveis no visível, viabilizando o entendimento dos clientes e usuários dos serviços e produtos disponibilizados pelas suas instituições. Adm. Maria Thais Pinheiro Holanda é professora universitária.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.