José Bruno

José Bruno

Aposentei-me após trabalhar 38 anos, 30 dos quais no SERPRO onde era Analista de Negócios tendo atuado como tal durante 15 anos na área de Atendimento do SERPRO Brasília-DF, especificamente na Superintendência de Negócios Serviços Especiais - SUNSE onde era responsável pelo atendimento comercial ao Exército Brasileiro.

Sou pós-graduado em Administração Pública, pela Fundação Getúlio Vargas,Graduado em Administração de Empresas pela Universidade Bennett de Ensino, Rio de Janeiro e fiz o ensino básico completo no Colégio Pedro II, Rio de Janeiro.

.Especializei-me em Gerência através do curso "FORGE" um Curso de Formação de Gerentes promovido pelo SERPRO o qual recrutava para seleção formandos e recém formados em áreas de exatas para o processo de seleção. Fui um dos 4 selecionados entre 350 candidatos de várias Universidades, entre elas, a Universidade Nacional do Rio de Janeiro, o Instituto Tecnológico da Aeronáutica, Universidade Gama Filho e Fundação Getúlio Vargas entre outras.Nesse concurso fui um dos três primeiros classificados num processo que teve 350 concorrentes oriundos de faculdades de todos os estados brasileiros nas áreas de exatas como engenharia, economia, administração inclusive o ITA. Curso de Pesquisa Operacional em Telecomunicações (Faculdades Integradas Estácio de Sá, Rio de Janeiro, Mercado de Capitais (Bolsa de Valores do Rio de Janeiro), Colégio Pedro II, (Rio de Janeiro).

Fiz Pós-graduação em Administração Pública pelo CIPAD Fundação Getúlio Vargas, Graduação em Administração de Empresas pela Universidade Bennett de Ensino), Rio de Janeiro, Especialização em Gerência, o "FORGE" - Curso de Formação de Gerentes (1), SERPRO, Rio de Janeiro), Pesquisa Operacional em Telecomunicações (2) (Faculdades Integradas Estácio de Sá, Rio de Janeiro, , Mercado de Capitais (Bolsa de Valores do Rio de Janeiro), Colégio Pedro II, (Rio de Janeiro). (1) No concurso do FORGE foi um dos três primeiros classificados num processo que teve 350 concorrentes formandos ou não recrutados nas faculdades de administração, engenharia, economia, inclusive o ITA.

(2) Único aluno indicado pelo SERPRO para fazer o curso.

Em sua atuação no SERPRO fui ainda o primeiro classificado no concurso interno aberto em nível nacional a todos os funcionários, para constituição da Base de Especialistas na área de Negócios do SERPRO, onde passou a atuar e onde deu atendimentos a diversos clientes daquela Estatal:

No Exército Brasileiro - Atuei (até março/2003) como Analista de Negócios no atendimento comercial ao CITEX onde promoveu a consolidação da Rede Ebnet daquela organização militar através da conexão à Rede VPN do SERPRO.

No Departamento de Polícia Rodoviária Federal Atuei como Analista de Negócios tendo participado da implementação do sistema de Notificação on-line (NIT on-line) e atuado na coordenação das manutenções corretivas, preventivas, adaptativas e evolutivas do sistema de multas daquela entidade.

Ainda no Departamento de Polícia Rodoviária Federal Tive atuação decisiva na implementação dos dois sistemas de comunicação via internet:

a) o servidor de comunicação desenvolvido com sistema operacional LINUX, que possibilitou solucionar de imediato, demanda urgente da Polícia Rodoviária Federal que pretendia disponibilizar ao cidadão a verificação de existência de multas na base Main Frame.

b) o servidor de comunicação para viabilizar a troca de arquivos, via internet, entre a base de dados Main Frame do sistema de Multas, residente no Serpro e as múltiplas e diferenciadas bases de dados dos DETRANS conveniados.

Atuei como Analista de Negócios no atendimento comercial a diversos Ministérios e diversos órgãos públicos:

- Relações Exteriores, Saúde, Agricultura e, ainda, ao INCRA, IBAMA, CADE e CONAB.

Em 1977 - cursei o programa de especial de treinamento gerencial denominado Curso de Formação de Gerentes, o "FORGE", com duração de 2464 horas entre aulas e estágio em todos os segmentos produtivos do SERPRO.

Concluído o curso, recebi convites para trabalhar em, pelo menos, quatro das Diretorias do Serpro tendo optado pela Diretoria Técnica - DETEC e, especificamente pela "Divisão de Fabricação" (5) que produzia os equipamentos de transcrição usados pelo Serpro e clientes, o STV 1600. Ali atuou coordenando o desenvolvimento do projeto lógico do sistema de apuração de custos (componentes, peças e partes).

(5) Na DFA, coordenei a participação do SERPRO na Feira de Informática "Brasil Export 77" uma Feira Internacional, patrocinada pelo Brasil e realizada no Anhembi, São Paulo que objetivava divulgar a indústria brasileira para o Exterior.

Fui Assessor do Departamento Administrativo (1978) e Chefe do Patrimônio (1986) onde desenvolveu o projeto lógico do Sistema de Patrimônio, o SISPAT (6), e posteriormente, desenvolvimento do projeto lógico de um novo sistema de patrimônio em grande porte (Natural Adabas) que substituiu o anterior desenvolvido em MUMPS.

(6) O sistema SISPAT inovou e REVOLUCIONOU o conceito de controle do ativo imobilizado do SERPRO, sendo portanto INÉDITO no mundo.

Diversas funções e a própria lógica do sistema Introduziu conceitos e funções inéditas e revolucionárias para a época conforme se vê numa publicação de 2000 que profetiza para o futuro trabalho que já havíamos desenvolvido15 anos antes tais como "desmembramento contábil de bens", "junção contábil de bens", subsistema de inventário independente da base de dados contábil, ensejando o "batimento do cadastro contábil com o inventário físico".

Essa função de batimento independente entre os cadastros físico e contábil levou o SERPRO, pioneiramente, e de forma revolucionária, à excelência de qualidade no controle do ativo imobilizado possibilitando a ELIMINAÇÃO da "certeza de impunidade" que a precariedade dos controles pré-existentes acabavam por alimentar no que se refere a extravios e mesmo desvios de bens da empresa.

Após ser admitido no SERPRO em 1971, atuei até 1976 no Setor de Telecomunicações/DA, onde participou dos diversos Projetos de Sistemas Telefônicos implementados em diversas filiais do Serpro (Uros).

Participei, como responsável pelas análises estatísticas de tráfego telefônico, da equipe que desenvolveu o Projeto Central Inteligente (3), 1974

(3) A "Central Inteligente" consistia em um sistema ADAPTADO feito com a acoplagem de um mini-computador, o / 7 IBM à central telefônica ESK-400E Siemens alterando os fundamentos vigentes que adotavam o 'sistema de perdas'(teoria das filas) e mudando para o 'sistema de espera' de forma a permitir o desenvolvimento de funções especiais como ligações controladas para ramais ocupados, ligações conferências, siga-me (follow-me, manutenções de endereçamentos de ramais via programa, etc.

Em 1974 desenvolvi o MUST o Manual de Utilização do Sistema Telefônico. Era um manual impresso (situação ainda inédita) e promovia facilidades de consulta similar ao que se tem hoje, na internet, nos sites das concessionárias telefônicas (102 on-line).

A partir da implantação do MUST o tráfego telefônico da Central PABX do SERPRO teve espantosa redução, eliminando necessidade de expansão já que o dimensionamento das centrais, feitos pelas técnicas vigentes (Curvas de Erlang) esbarrava em uma falsa demanda reprimida ocasionada pela falta de um Manual de Ramais que garantisse aos usuários acesso rápido e fácil às informações.

O inusitado MUST, o Manual de Utilização do Sistema Telefônico do SERPRO acabou sendo em 1974, o precursor da filosofia hoje amplamente adotada nos sites de buscas como o Google, na detecçao das informações bucadas mesmo de forma errada já que, ainda nessa época, se utilizava e adotava palavras chave fora de contextos (então denominado "KWOC" - Key Word Out of Context) técnica então restrita a uso em bibliotecas e que hoje estão incorporadas nos imprescindíveis Metadados que dão visibilidade aos sites nos sites de busca. Assim, pioneiramente, em 1974, o Must propiciava as informações rapidamente a quem o consultasse e de forma inédita ainda hoje, já que o fazia através de um manual impresso...

Na época, eu dizia, com todas as restrições da tecnolocia de então, um IBM 1130 e cartões perfurados, será um manualzinho à prova de leigos, para não dizer à prova de idiotas...

Exibir