voltar para Produção Acadêmica

Rio ParaguaiI na cidade de Cáceres - Mato Grosso: Uso e Ocupação no entorno¹

O estudo objetivou descrever o uso e ocupação da margem esquerda do rio Paraguai, compreendendo o trecho entre a confluência da baía do Malheiros com o rio e a ponte Marechal Rondon em Cáceres-MT. Diante disso fez-se necessário analisar a importância do recurso hídrico para as atividades desenvolvidas, abordando as condições ambientais estabelecidas no espaço urbanizado. Os procedimentos metodológicos para a elaboração e sistematização do estudo, se deram inicialmente através de levantamento bibliográfico sobre a temática. Nos trabalhos a campo realizou-se descrição do uso e ocupação da margem esquerda do rio Paraguai, através de observação, aplicação de questionários e registros icnográficos. Para melhor sistematização do trabalho, a área de estudo foi dividida em trechos. O segmento encontra-se no alto curso do rio Paraguai com extensão de 1000 metros. Nos últimos anos, ocorreu um crescimento expressivo no uso e ocupação do entorno, sobretudo a expansão de bairros limítrofes a margem esquerda do rio Paraguai com a inserção de áreas residenciais e comerciais.

O rio Paraguai na região de Cáceres-MT é caracterizado por um segmento em que o canal e a planície fluvial estão bem definidos, sendo o principal canal de escoamento do Pantanal. Sua nascente principal encontra-se nas bordas do Planalto dos Parecis, na cota altimétrica de 480 m, no município de Diamantino. Percorre a depressão do rio Paraguai com altitudes, que variam de 98 a 280m (SOUZA, 2004).

Documentos etnográficos sobre a região mostram que a navegação do rio Paraguai iniciou com o uso de pequenas canoas feitas de troncos de árvores e movidas a remo, utilizadas pelos índios para se locomoverem para outros locais. O desenvolvimento da navegação ocorreu a partir do século XVI, no momento em que os europeus iniciaram a colonização na América, época em que expedições espanholas navegaram com embarcações maiores pelo rio Paraguai. No século XVIII, o rio Paraguai era usado para o transporte de produtos necessários ao abastecimento das fazendas e do núcleo urbano (Cáceres), também para o escoamento da produção das fazendas ribeirinhas (carne bovina) e do ouro proveniente da capital do Estado, Vila Bela da Santíssima Trindade (SOUZA, 2004).

A ocupação da planície iniciou-se no século XVIII, com o surgimento do povoado de Cáceres, em 1772, à margem esquerda do rio Paraguai. Atualmente, no perímetro urbano de Cáceres, as margens encontram-se totalmente ocupadas por ruas, residências, áreas e recreação, comércio, indústrias, ancoradouros e a área portuária.

Na última década, ocorreu um crescimento expressivo da navegação, principalmente pelo uso de barcos de pequeno e médio porte, bem como a navegação com grandes embarcações e comboios de chatas para transporte de grãos.

Sendo assim, o presente estudo objetivou descrever o uso e ocupação da margem esquerda do rio Paraguai, compreendida entre a confluência da baía do Malheiros com o rio Paraguai e a ponte Marechal Rondon na cidade de Cáceres - MT.

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.

    ademir barbosa

    Exibir