Incentivos Organizacionais e Subjetividade do Trabalhador

Nos últimos anos as ciências da administração vêm conhecendo um movimento intenso de questionamento e reformulação em que o estudo do comportamento humano ocupa uma posição central, incorporando campos do conhecimento até então considerados marginais como a lingüística e a psicanálise. Diante deste fato, a função de Recursos Humanos foi sendo delineada, procurando focar o homem como ser subjetivo, utilizando-se de valores simbólicos e culturais como chave para o sucesso. Neste contexto surgem os incentivos, como forma de alcance de metas estratégicas e geram resultados para a organização e também para os colaboradores.
Percebe-se, porém, além do racionalismo e do objetivismo inerente ao próprio processo que é efetivado durante a realização dos incentivos, que dimensões relacionadas ao trabalhador são evidenciadas, uma vez que se utiliza a competição como estímulo à motivação.
Neste trabalho acadêmico, pretende-se estudar os incentivos propostos pela empresa e procurar compreender como os estímulos estão sendo percebidos pelo trabalhador, uma vez que em todo sistema social o ser humano dispõe de uma autonomia relativa e, levado pelos seus desejos, suas aspirações e suas possibilidades, ele dispõe de um grau de liberdade e sabe o que pode atingir e que preço estará disposto a pagar para consegui-lo . Não se pode conduzir o ser humano, portanto, sem um consentimento mesmo que relativo ou tácitoe todo o esforço das empresas ao tentar ocupar um papel de destaque na vida dos trabalhadores, considerando que as pessoas criam uma representação baseada na busca do significado do que está no seu ambiente, entrelaçado em sua cultura, pode ser uma visão muito simplista da realidade.

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.

    Edson Edson

    Formado em Administração pela Universidade Estadual de Montes Claros , com pós-graduação em Docência do Ensino Superior, atualmente faço mestrado pela Universidade Estadual de Minas Gerais/ UEMG- FUNEDI.Trabalhei como Analista de Vendas, como coordenador de Projetos e atualmente sou Coordenador de Desenvolvimento Humano no Centro Universitário Santo Agostinho.

    Exibir