voltar para Produção Acadêmica

Desenvolvimento do Funcionário para o gerenciamento da rotina. Auto-realização no serviço.

O tema que nos ocupa, não pertence ao campo das ciências, não descreve processos científicos que se comportam da mesma forma sob iguais ou similares condições. Estamos navegando no domínio das chamadas humanidades, onde impera o conhecimento empírico, resultante de estudos muitas vezes longos e de apreciações, pesquisas e retornos de participantes em experiências variadas. As características do entorno desempenham um rol primordial, estando sujeitos os desenlaces a uma ampla gama de fatores subjetivos em sua maioria. Tem como o centro ao homem e as relações que este estabelece na sua atividade criadora.

I – Considerações sobre trabalhar e trabalho.

É saudável começar a explanação deixando bem claro o lugar do trabalho nas nossas vidas, sem desmerecer o significado que ele tem para todos nós, seja qual fosse a índole do mesmo ou o grau de prazer ou satisfação que provoca sua realização e o seu resultado.

É pobreza, é triste centrar no trabalho a felicidade da vida, não é o mesmo dizer que estou feliz com o meu trabalho, com o que faço, a estabelecer analogia entre felicidade de vida e trabalho. Viver é muito mais do que trabalhar, tem muitas coisas para complementar nossos amanheceres, que temos que cultuar e cultivar, atividades criadoras, que nos proporcionam aquele gosto, aquela sensação de entendermos o porquê da nossa existência. Temos que procurar enriquecer o dia-a-dia para suprir deficiências do cotidiano que nem sempre dependem diretamente do nosso proceder.

“É um absurdo exaltar o trabalho como substituto do lar ou como símbolo de status, que promete auto-realização e diversão. Trabalho é somente trabalho. E isto é exatamente o que precisamos que volte a ser.” (Tomado de Palavra de especialista, autor Ari Marques)

Por acaso as pessoas que tem um bom emprego e evidentemente realizadas no trabalho, bem posicionadas, são felizes?. É ideal e altamente desejado se sentir bem no trabalho, mas a vida não é o trabalho. Cada coisa no seu devido lugar.

Existe um perigo real, quando trabalho e tempo livre começam a se misturar, o tempo livre pela própria etimologia do conceito, é pleno, não sujeito a normas e regras que imperam nos ambientes de trabalho, asfixiados por crachás, munidos de formalismos e hierarquias, as vezes uniformes ou símbolos adotados, paredes decoradas com cartazes e anúncios para os quais ninguém pediu o seu parecer, vestimentas nos padrões que não aceitam visuais alternativos, etc.

O trabalho pode ser fonte de inúmeras satisfações, de amizades e conquistas, mas devemos dar o seu lugar certo. Aprender a descobrir valores e capacidades, alimentar o espírito e a alma faz muito bem. O nosso mundo não é só material.

Do trabalho obtemos parte de nossa realização e não sua totalidade como pensam muitos. Cuidemos dessa distinção.” (Tomado de Palavra de especialista, autor Ari Marques)

Apresentaremos alguns significados das palavras trabalho» e «trabalhar» de acordo com o que é definido por um dicionário da língua portuguesa. «Trabalho» significa: “exercício de atividade humana, manual ou intelectual, produtiva”; “serviço”; “lida”; “produção”; “labor”; “maneira como alguém trabalha”. «Trabalhar» é “exercer alguma profissão”; “dar determinada forma a”; “fazer com arte”; “labutar”; “empenhar-se”; “executar alguma tarefa”; “desempenhar as suas funções”.

Desde que se têm noções dos inícios da Humanidade, o conceito de “trabalho”, tem sofrido inúmeras alterações, adquirindo novos domínios, dimensões e valores. Já foram os tempos em que o trabalho era considerado socialmente como sinal de opróbrio, de humilhação, desprezo e inferioridade, porque era exclusividade das classes baixas, dos escravos e servos. Só trabalhavam os escravos. Existiam até os artesãos, mas estes eram contratados para prestarem serviços. Na sociedade se estabeleciam status sociais e jurídicos pela posição ante o trabalho. É quase inacreditável que hoje tratemos o assunto trabalho como fonte de realização pessoal e social, como meio de dignificação do homem.

As sociedades antigas criaram várias classificações para diferenciar o trabalho de categorias similares relacionadas com as atividades da vida ativa e foram introduzidos os conceitos de labor, trabalho propriamente dito e ação.

Para eles labor diz respeito à luta pela sobrevivência física do corpo. É realizado em vista da manutenção da vida e da sobrevivência da espécie humana. O labor está associado ao processo biol&oacu

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.

    Lino Sandoval

    Sou Engenheiro de automação, Master of Science in Economy e MBA em TIGEN (Tecnologia da Informação Aplicada à Gestão Empresarial de Negócios) pela FGV. Palestrante.

    Exibir