voltar para Produção Acadêmica

Da Moeda à Inflação: Uma Análise Empírica da Economia Brasileira a Partir de 1980

Este trabalho buscou analisar a existência da dicotomia clássica através de testes econométricos que demonstrassem o comportamento de duas variáveis nominais, quais sejam, a emissão de moeda e a inflação.

Para tanto, foram realizados também, estudos histórico e teórico-econômico da moeda, a fim de verificar qual seria a teoria monetária que se enquadraria nos resultados obtidos pelos testes econométricos.

Salientou-se, neste trabalho, as teorias clássica, keynesiana, monetarista e pós-keynesiana, verificando o modo como cada teoria percebia a relação entre a moeda e a inflação, ressaltando o modo como uma política monetária poderia afetar a variável macroeconômica mais importante para um país, a renda, pois, para teoria clássica há a dicotomia entre as variáveis reais e nominais, portanto a política monetária seria ineficiente em aumentar a renda (produto interno bruto) e, para outras teorias, haveria a possibilidade de que crises, desequilíbrios e falta de percepção dos agentes pudessem gerar flutuações na renda.

Sendo assim, foi verificado através do Teste de Causalidade, no período de 1980 à 2004, que a emissão de moeda é uma variável endógena (dependente do índice de inflação), e portanto, aceitou-se a o relacionamento entre as variáveis nominais como pertencente à teoria pós-keynesiana.

Outro teste realizado foi a verificação da Curva de Phillips, chegando-se a conclusão de que não há a dicotomia clássica e portanto, variáveis nominais realmente afetam as variáveis reais, como ressaltou Keynes.

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.

    Juliano Bathke

    Juliano Bathke é Economista, Contabilista, especialista em Gestão Empresarial (MBA) e especialista em operações fiscais e tributárias, com expertise focada em análise de custos e rentabilidade.

    Técnico Contábil, graduado em Ciências Econômicas pela Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão – PR (FECILCAM) e pós-graduado em Gestão Empresarial (MBA Executivo) pelo Centro Universitário de Maringá – PR (CESUMAR).

    Registro no Conselho Regional de Economia CRE 6957 6.ª Região
    Registro no Conselho Regional de Contabilidade CRC PR046613/O-9

    Executivo atuante a mais de 12 anos nas áreas fiscais, tributárias e recursos humanos em indústrias, em escritórios de contabilidade e advogacia, entre outros. É gestor financeiro de grupo econômico agroindustrial.

    Exibir