Siderúrgica chinesa não quer aceitar aumento da Vale

O presidente da siderúrgica chinesa Shougang, Zhu Jimin não está disposta a aceitar o aumento de preços do minério de ferro pedido pela mineradora brasileira Vale.

O presidente da siderúrgica chinesa Shougang, Zhu Jimin, disse ontem que sua empresa não está disposta a aceitar o aumento de preços do minério de ferro pedido pela mineradora brasileira Vale, a fim de equipará-los aos dos clientes europeus. "As importações de minério de ferro pela China caíram acentuadamente, a produção de aço diminuiu e os setores de distribuição e comercialização sentiram o impacto. Isso também não é bom para as mineradoras", disse Zhu.

Ele pediu que haja mais negociações sobre os preços entre as siderúrgicas chinesas, representadas pela Baosteel, e a Vale, mas espera que as cotações decididas no primeiro semestre sejam mantidas.

Já a siderúrgica de Taiwan China Steel afirmou que vai esperar a reação das outras empresas asiáticas do setor ao pedido de reajuste da Vale antes de decidir o que fazer. "Estamos atualmente em discussões com outras siderúrgicas asiáticas. Como somos um participante relativamente pequeno no mercado, vamos olhar a reação de outras companhias japonesas, chinesas e coreanas antes de decidir o que fazer", disse Chen nos intervalos de uma conferência. Ele não deu mais detalhes sobre o assunto.

A consultoria UOB KayHian, por sua vez, afirmou que a tentativa da Vale de reajustar o preço do minério de ferro agora pode ser ineficaz no médio prazo, porque os preços dos produtos siderúrgicos estão caindo e ainda não deram sinais de que tenham atingido o menor nível. "Se a queda do preço do aço continuar assim, veremos um corte de produção ainda maior em 2009, que, por sua vez, reduzirá a demanda por minério". As informações são da Dow Jones.

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.