Reduz quantidade de novas empresas criadas em março, diz Serasa Experian

Segundo o Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas, entre janeiro e março de 2014 o total de novos empreendimentos criados dentro do território nacional foi de 469.524

O feriado de carnaval, logo nos primeiros dias de março, foram úteis para o brasileiro descansar – mas impactou o número de novas empresas criadas no Brasil no mês: foram 151.153 novos empreendimentos, quantidade 4,3% menor em relação a fevereiro, segundo o Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas. Mesmo com a queda, porém, o montante é o segundo maior registrado no mês desde o início da série histórica, em 2010.

Ainda segundo o Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas, entre janeiro e março de 2014 o total de novos empreendimentos criados dentro do território nacional foi de 469.524. Este número representa um avanço de 9,5% frente ao total de novas empresas surgidas durante o mesmo período de 2013 (428.741), sendo também maior que os totais registrados durante os mesmos meses de 2012 (447.130), 2011 (373.010) e 2010 (322.387 novas empresas)

A diminuição em relação à fevereiro/13 foi provocada pelo carnaval, que este ano caiu em março e comprometeu os cinco primeiros dias do mês, três deles úteis, segundo os economistas da Serasa Experian. As Empresas Individuais foram as mais prejudicadas pela folia, registrando a maior queda (6,9%) em relação ao mês anterior (15.704 empresas contra 16.867 em fevereiro). Os Microempreendedores Individuais (MEIs) também sofreram redução de 5,0%, com 107.389 novas empresas (contra 113.018 no mês anterior). Já as Sociedades Limitadas apresentaram uma menor redução: foram 18.891 novos empreendimentos em março, contra 19.026 em fevereiro (queda de 0,7%).

Nascimento de Empresas por Natureza Jurídica

Segundo o levantamento, das 469.524 novas empresas criadas entre janeiro e março de 2014, 72,3% do total (339.426) foram de Microempreendedores Individuais (MEIs), 10,2% (47.686) foram de Empresas Individuais, 11,8% (55.405) foram de Sociedades Limitadas e, por fim, 5,8% do total (27.007) foram de empresas de outras naturezas jurídicas.

As MEIs vêm registrando aumento desde o início da série histórica do Indicador, devido à crescente formalização dos negócios no Brasil – em apenas quatro anos, passaram de quase metade do total de novos empreendimentos (41,0%, em 2010) para quase três quartos deste total.

Nascimento de Empresas por Região

O Sudeste registrou o maior número de empresas abertas nos três primeiros meses deste ano, com 50,5% do total, tendo 237.187 novas empresas. A Região Nordeste ocupou o segundo lugar, com 18,3% do total (85.883 empresas). Com 16,2% de participação, a Região Sul ficou em terceiro lugar, com 76.235 novas empresas. O Centro-Oeste, com 44.956 empresas, foi responsável por 9,6% de participação, seguido pela Região Norte, com 25.264 novas empresas e 5,4% do total de novos empreendimentos.

Em comparação com o mesmo período do ano passado, a Região Sudeste foi a que mais registrou aumento no número de empresas (alta de 13,8%), quase o dobro da segunda colocada, a Região Nordeste, com 7,3%. O Centro-Oeste vem em terceiro, com 5,2% de crescimento. Em quarto lugar está a região Norte, com 4,2% de crescimento, seguido de perto pela Região Sul (com diferença mínima, 4,1%).

Nascimento de Empresas por Setor

Os empresários continuam mais interessados no setor de serviços, que recebeu de janeiro a março 278.400 novas empresas, equivalente a 59,3% do total. Em seguida, surgiram 145.308 empresas comerciais (30,9% do total) e, no setor industrial, foram abertas 38.431 empresas (8,2% do total) neste mesmo período.

Ao longo destes últimos cinco anos, tem crescido a participação das empresas de serviços no total de empresas que nascem no país. Esta participação aumentou 5,8 pontos percentuais entre os três primeiros meses de 2010 (53,5% do total) e o mesmo período de 2014 (59,3% do total).

Por outro lado, a participação do setor comercial de empresas que surgem no país tem recuado nestes últimos anos (de 31,5% entre janeiro e março de 2013 para 30,9% no mesmo período de 2014), ao passo que a participação das novas empresas industriais vem se mantendo estável, com variação média de 8,2% ao longo dos anos.

Metodologia do estudo sobre Nascimento de Empresas

Para o levantamento do Nascimento de Empresas foi considerada a quantidade mensal de novas empresas registradas nas juntas comerciais de todas as Unidades Federativas do Brasil bem como a apuração mensal dos CNPJs consultados pela primeira vez à base de dados da Serasa Experian.

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.