Produtores de banana reclamam de concorrência desleal vinda do Uruguai

Aprovação da medida que permite importação de bananas do Equador pode se tornar um problema não apenas econômico, mas também social para pequenos produtores

O Ministro da Agricultura, Neri Geller, recebeu um documento criado por produtores de babana do Brasil com a intenção de proteger a bananicultura local da concorrência considerada desleal por eles. Esse documento contém uma avaliação dos danos causados pela entrada da fruta vinda do Equador e pede a revogação imediata da Instrução Normativa.

O argumento apresentado é que no Equador a produção da fruta é fartamente subsidiada por empresas multinacionais, o que gera um aumento na quantidade e menor custo de produção. Segundo os produtores, com a aprovação da Instrução Normativa n° 3, da Secretaria de Defesa da Agropecuária do Brasil, a fruta cultivada no nosso país torna-se foco da concorrência desleal.

“Os frutos importados daquele país afetam diretamente o pequeno produtor e a cadeia produtiva que a cultura bananeira representa para o País. Atualmente, o Brasil é o quarto maior produtor do mundo, com 550 mil hectares de área plantada e mais de 500 mil bananicultores”, revela Carlos Alberto Pereira de Albuquerque, Diretor de Relações Institucionais e Governamentais do Instituto Brasileiro de Frutas (IBRAF).

Albuquerque também declarou que a produção anual (de aproximadamente 7 mil toneladas) de bananas corre o risco de sucumbir com tal autorização da entrada da fruta do Equador. “A banana é produzida por pequenos produtores. É uma fruta que está em todo o território nacional de norte a sul do Brasil.

Ele também esclarece que pelo menos outras cinco ou seis pessoas dependem do cultivo da banana, além do produtor. “Não se trata de política, mas da defesa dos pequenos produtores da fruta. A questão não é apenas econômica, é social, e envolve o sitiante e sua sobrevivência. Caso a aprovação da Instrução Normativa seja mantida é fundamental que o governo ofereça alguma compensação aos produtores nacionais”, alerta Albuquerque.

O IBRAF promove o projeto Brazilian Fruit, iniciativa com objetivo de promover as frutas brasileiras e seus derivados mundo afora como sinônimo de qualidade e excelência. O projeto faz parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (APEX Brasil).

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.