Café com ADM
#
Por que se importar com a cultura emocional de sua empresa?
Por que se importar com a cultura emocional de sua empresa?

Por que se importar com a cultura emocional de sua empresa?

Veja como espalhar o sentimento de valorização com essas cinco dicas

A importância de uma cultura corporativa é conhecida no mundo dos negócios. Grandes empresas como o Facebook e o Google, por exemplo, desenvolveram ambientes específicos para o tipo de funcionários que contratam, no sentido de mantê-los felizes e motivados em ir trabalhar. Brinquedos e mesas de pingue-pongue, porém, não são suficientes para manter funcionários felizes e fazê-los sentir valorizados. E este tipo de abordagem não é a única para alcançar tal objetivo.

O ambiente e a empresa não são tudo, pois se fossem, as pessoas não se sairiam do Google, por exemplo. É preciso que haja um relacionamento com os colegas e gerentes. Criar uma cultura de cuidado e valorização implica em personalizar um pouco da vida profissional e cultivar relações amistosas e até de afeto entre as pessoas que fazem uma empresa.

Para isto, veja as dicas de Tom Gimbel, CEO da LaSalle Network, citadas por Stephanie Vozza em artigo da Fast Company:

1. Tudo começa com o CEO

Muito da cultura emocional de um local tem a ver com aquela que é transmitida pelos gerentes, e cai sob sua responsabilidade. Se um gerente demonstra não se importar, isto contagia os funcionários; é preciso lembrar, porém, que a postura do gerente na maioria das vezes é um reflexo de quem está acima dele. Para criar uma atmosfera de valorização, portanto, a iniciativa deve partir do CEO.

2. Estabeleça expectativas claras

Funcionários querem ser cuidados, mas precisam lembrar que relações de trabalho, como todas as outras, funcionam na base da reciprocidade. Gerentes precisam expressar o que esperam dos funcionários, e vice e versa. Se os objetivos e expectativas ficam claramente estabelecidos, se torna mais fácil cumprí-los, contribuíndo para a satisfação dos dois lados.

3. Esteja disponível

Gerentes precisam estar disponíveis para seus funcionários em todo o tempo, segundo Gimbel. Se você espera dedicação das pessoas que trabalham para você, então deve demonstrar o mesmo comportamento. “Não é necessário atender ligações em todas as horas, mas é preciso ser responsivo”, diz ele. Recompensar esforços extras e valorizar um funcionário quando perceber que ele foi além, é uma maneira de cultivar o cuidado.

4. Construa relações fora do ambiente de trabalho

É tentador separar completamente vida profissional de vida pessoal, mas se não formos além das horas de trabalho, a confiança não evolui. Gimbel diz que é necessário passar tempo com funcionários ou colegas fora do ambiente corporativo porque através dos momentos de descontração e lazer é que o relacionamento se tornará mais profundo.

Ele também fala sobre escolher atividades que construam espírito de equipe, e que sejam divertidas e agradáveis para os funcionários, e não necessariamente para o empregador. Pesquisar e tentar perceber o que agrada quem trabalha pra você será fundamental neste quesito.

5. Seja atencioso com a vida pessoal dos funcionários

A lealdade dos funcionários a uma empresa será mais fortemente conquistada quando existe atenção com relação à sua vida pessoal. Colegas e gerentes que sabem dos momentos importantes uns dos outros vivem algo mais parecido com uma amizade do que com uma relação estritamente de trabalho. Pequenos gestos fazem a diferença: mandar flores quando houver uma morte na família, oferecer dias de folga extra se o funcionário estiver passando por um divórcio ou fazer algo para marcar o aniversário de alguém são práticas recomendadas por Gimbel para criar e cultivar uma cultura emocional saudável.

Com informações de Fast Company

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.