Motivação sem estratégia não gera resultado
Motivação sem estratégia não gera resultado

Motivação sem estratégia não gera resultado

A capacidade de reter talentos e engajar pessoas impacta na rentabilidade

Nos dias de hoje, tanto na vida pessoal quanto na corporativa, atitude faz toda a diferença. Ter clareza quanto aos objetivos que se pretende e conhecer muito bem o perfil dos seus gestores e profissionais da sua equipe são fundamentais para a manutenção de qualquer negócio.

Conhecimento aliado a plano de ação eficaz são meios para se atingir maior engajamento, lideranças inspiradoras e, consequentemente, maior produtividade. Em anos de consultoria, não raro constatei que planos de motivação aleatórios e movimentação interna de profissionais mal estruturadas acabaram por gerar uma incontrolável insatisfação, gerando insegurança na equipe e fuga de talentos. O fato é que o direcionamento vem de cima e precisa ser legitimado por meio de ações coerentes e bem fundamentadas no dia a dia.

Uma organização precisa saber aonde quer chegar, por quais meios e caminhos, e que profissionais precisa ter para alcançar o que deseja. Também precisa ser capaz de comunicar-se com clareza, sem deixar espaço para ruídos. O apoio de uma consultoria experiente em avaliar competências e sugerir soluções práticas, pode agilizar muito esse processo. O assessment bem orientado tem sido a ferramenta para mapear os talentos e potenciais, identificar a verdadeira vocação de muitos profissionais e como ele, ao ser melhor alocado, entrega muito além do esperado.

Vivo essa realidade com satisfação. Me dedico a essa atividade de mapear esses potenciais e alinhar esse conjunto às demandas de áreas estratégicas das empresas. O domínio da ferramenta de assessment aliado à profunda visão de negócios de consultores experientes, capazes de desenhar soluções taylor made, geram resultados mais assertivos, em um ambiente onde todos ganham. A empresa conquista times mais coesos, gestores mais atuantes e melhor desempenho; os colaboradores percebem um reconhecimento e uma preocupação com seu futuro e sua carreira por parte da organização, e responde com motivação e fidelidade. A tudo isso chamamos retenção com resultado.

O conhecimento técnico é, e será sempre imprescindível. Mas, o mundo corporativo é dinâmico e as demandas se atualizam. Não menos importantes, as habilidades relacionais e a capacidade de resiliência estão entre as competências importantes a diversos cargos, níveis e setores.
Formação técnica importa sim. Mas, as características comportamentais têm se tornado imprescindíveis.

Luciana Azevedo é sócia da OdgersBerndtson Brasil, gestora da Divisão Assessment

ExibirMinimizar
aci baixe o app