Café com ADM
#

Micos no trabalho

Empresas adotam "castigos "em público como disciplina para funcionários que não cumprem metas.

Lembra da sua infância, quando você desobedecia ou fazia algo de errado e seus pais lhe aplicavam um castigo, como ficar parado num canto da mesa? Se você pensa que esse tempo ficou para trás, se engana.
Muitas empresas hoje em dia resolveram aplicar "castigos" aos funcionários que desobedecem regras ou não cumprem metas. A pena causa estranhamentos e repulsa em alguns especialistas. Mas a pergunta está lançada: tratar os funcionários desse modo faz com eles não cometam mais erros dentro da organização?


A especialista em formação de executivos, Betânia Tanure, garante que essa tática de estimulação não causa resultados muito produtivos. "Você pode aprender e ser estimulado a agir pelo prazer ou pela dor. Essa é uma forma de estimular pela dor, que, normalmente, traz resultados de curto prazo", diz ela.

Contudo, algumas pessoas acreditam que para garantir o emprego, aceitariam pagar micos diante de colegas sem problema nenhum. "Por mais que as pessoas, de uma maneira geral, achem isso impossível, têm algumas que não se incomodam com isso", afirma a especialista.



Betânia realizou um estudo sobre o assunto e o resultado soa cômico. Ela descobriu que há casos em que um gerente amarrou um bode de verdade no pé da mesa do funcionário que não cumpriu uma meta exigida.



Outros exemplos são mais diretos e ofensivos: um funcionário indisciplinado é colocado em um canto da parede e nele são jogadas bolas de espumas e até tomate. Um empregado que não cumpre a meta pode levar vaias ou ser convocado a fazer a "dança da garrafa" diante de colegas.

Para o consultor de carreiras Max Gehringer, essa tática é condenável. "Nós estamos no século 21 e estamos cada vez mais falando em proporcionar qualidade de vida aos funcionários, bom ambiente de trabalho e respeito. Não podemos admitir que práticas como essas sejam cada vez mais constantes, mesmo que produza os resultados que a empresa queria", destaca Gehringer.

Repulsiva ou engraçada, de qualquer maneira é bom tomar cuidado e cumprir de forma correta as atividades dentro da empresa. Do contrário, você corre o risco de dançar a dança da garrafa na frente de todos os seus colegas de trabalho.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.