Lula diz que política é solução para a crise mundial

Foram cometidos muitos equívocos em 'nome do Deus mercado', disse.Presidente ressaltou que a maior preocupação é com a volta do crédito.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, nesta quinta-feira (5), na abertura do Seminário Internacional sobre o Desenvolvimento realizado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), que a solução para a crise financeira mundial é a “política”. Segundo ele, uma política bem ordenada pode salvar o mundo do caos que se instalou no mundo.

“Por mais injustas que sejam as consequências dessa crise para as pessoas pobres e as nações em desenvolvimento, ela coloca um ponto final nos equívocos cometidos por décadas em nome do Deus mercado”, disse ele a uma platéia de empresários e economistas.


Para Lula, chegou a hora de os governantes assumirem um papel de liderança em seus países. “Eu estou convencido de que a saída para essa crise que estamos vivendo só acontecerá se os governantes do mundo assumirem o papel de governantes dos seus países. Houve, durante duas décadas, uma apatia, porque as pessoas eram eleitas sob a égide de que o Estado não valia nada e de que tudo seria resolvido pelo mercado e que o papel do governante era enxugar o estado e reduzi-lo ao mínimo possível porque ele atrapalharia a economia”, argumentou o presidente.

O presidente salientou ainda que é preciso saber se os governos conseguirão ser os indutores da econômica e não permitirão mais tanto espaço para que os mercados decidam seus rumos. “Precisamos saber se os líderes políticos assumirão o seu papel e se os Estados assumirão o seu papel de indução da economia”, questionou.

Lula disse que os grandes bancos ficaram pequenos, e os investidores não apontaram para onde foram os trilhões de dólares que existiam nos mercados antes da crise. “Ninguém sabe até hoje quantos trilhões de dólares atravessavam os oceanos sem passaporte e sem nada e depois da crise sumiram. Os grandes bancos, que apareciam como uma grande pizza, agora são uma mini pizza”, atacou Lula.

Crédito

Durante o discurso de abertura do seminário, Lula disse que uma das grandes questões a serem resolvidas na crise é a volta do crédito. “Nós vamos ter que decidir não apenas a regulação do sistema financeiro e dos paraísos fiscais, mas vamos ter que ver como restabelecer o crédito no planeta, porque, sem isso, os paises não funcionam, as empresas não investem e a economia não roda”, argumentou.

Lula disse que ainda não se sabe se haverá o mesmo volume de crédito que havia no mundo antes da crise. “Podemos ou não voltar ao credito antes da crise? Esse é o grande desafio. Será que os países ricos vão apenas colocar dinheiro com intuito apenas de salvar bancos ou vão ter coragem para estatizar esses bancos, salvá-los e depois fazer voltar o crédito”, questionou.

Ele salientou ainda que o Brasil não vencerá a crise fazendo cortes no orçamento. O presidente disse que o país vai aumentar seus investimentos orçamentários e citou como exemplo o pacote de habitação que deve ser lançado neste mês.

“O que vamos discutir no G-20 é que chegou a hora da verdade e da política, não tem contemporização”, salientou Lula no final do discurso.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.