Inteligência emocional feminina: uma habilidade em aprimoramento
Inteligência emocional feminina: uma habilidade em aprimoramento

Inteligência emocional feminina: uma habilidade em aprimoramento

Será então que as mulheres são emocionalmente menos inteligentes do que os homens?

Costumo conduzir treinamentos, workshops e programas de gestão das emoções e percebo que muitas mulheres acreditam que não têm uma boa inteligência emocional, já que se dizem emotivas e “choronas” demais.

Será então que as mulheres são emocionalmente menos inteligentes do que os homens?

A inteligência emocional é um conjunto de habilidades socioemocionais divididas em 5 dimensões:

- autopercepção;
- autoexpressão;
- interpessoal;
- tomada de decisões;
- gerenciamento do estresse.

A expressão de nossas emoções, tecnicamente chamada de expressão emocional, é uma habilidade que nos permite expressar o que sentimos quando sentimos. Quando mulheres se dizem “emotivas” e “choronas” demais, possivelmente estão se referindo a essa habilidade, que compõe a dimensão auto expressão, juntamente com outras duas habilidades: a assertividade e independência emocional. Isso quer dizer que, ser capaz de expressar o que se sente não é um problema; muito pelo contrário, é essencial para a nossa saúde emocional. Por isso, mulheres, não se sintam envergonhadas de sentirem vontade de chorar e de expressar a emoção.

Trata-se de uma manifestação saudável. É claro que, como tudo na vida, existe uma “dose certa”, mas não se reprima quando, em uma conquista do trabalho, ou em um reconhecimento em público, ou ainda diante de uma situação de dor, você sentir vontade de chorar. As lágrimas só demonstram a sua capacidade de sentir e de expressar o que sente.

Em alguns momentos, uma outra habilidade mais natural para as mulheres do que para os homens entre em ação: a empatia. A empatia é a capacidade de sentir o que os outros sentem. E isso, em geral, é uma especialidade das mulheres. A empatia nos permite enxergar o mundo pelas lentes das outras pessoas, gerando conexão e compaixão. Quando a empatia entra em ação, a emoção e as lágrimas podem ser inevitáveis. E como o cérebro não diferencia o que é real do que é imaginário, elas podem lavar os rostos femininos não apenas em situações reais, mas também durante uma triste cena de novela.

Já falamos de duas habilidades emocionais que costumam ser muito bem desenvolvidas em mulheres, a expressão emocional e a empatia, que justificam muitas vezes o “rótulo” que recebemos de emotivas e choronas. Mas eu ainda quero falar de uma terceira, talvez a mais importante de todas. A habilidade de “relacionamentos interpessoais”, que se traduz em nossa capacidade de criar e manter relacionamentos mutuamente satisfatórios. Esta aí uma outra habilidade emocional que as mulheres tendem a dominar. Isso facilita as interações, a cooperação e a solidariedade. Mulheres procuram outras mulheres para compartilhar o que estão sentindo, ajudarem e serem ajudadas, com mais facilidade do que os homens. Esses hábitos fortalecem o sentimento de que têm com quem contar e em quem confiar, o que é essencial para uma vida emocionalmente equilibrada.

Por isso mulheres, libertem a sua inteligência emocional e se apropriem com orgulho das habilidades que fazem de vocês estes seres humanos tão especiais. Não pretendo com isso dizer que somos melhores, nem piores. Somos simplesmente mulheres, com toda a beleza que nos é própria e natural.

Renata AranegaCo-fundadora da Cicclos, especialista em Inteligência Emocional, Consultora de RH e Facilitadora de Treinamentos. Experiência de mais de 13 anos em desenvolvimento Humano e Organizacional (DHO). MBA em Gestão Empresarial (FGV), Especialização em Marketing (FGV), Especialização em Brain Based Coaching Skills (Neuroleadership Institute). Analista comportamental DISC. Certificação em EQI 2.0, ferramenta canadense que mapeia a inteligência emocional.
https://www.cicclos.com.br/

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento