Inflação fecha outubro com maior taxa em três meses

IPC-S variou 0,47%, ante –0,09% em setembro. Alimentos voltaram a puxar alta do indicador.

A inflação calculada pelo Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) encerrou o mês de outubro com taxa de 0,47%, na quarta alta semanal consecutiva do indicador, que havia registrado variação de 0,34% na pesquisa anterior. Na comparação mensal, a taxa é a maior dos últimos três meses, menor apenas que os 0,53% verificados em julho.

Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), a maior contribuição para a alta do indicador veio do grupo alimentação, que registrou alta de 0,83%, ante 0,41% na terceira semana do mês. Destaque para as variações registradas por carnes bovinas (de 2,82% para 3,97%), hortaliças e legumes (de -3,33% para -2,13%) e laticínios (de -1,04% para -0,21%).


Também veio do grupo a principal contribuição individual de alta sobre o IPC-S: o limão ficou 47,57% mais caro para o consumidor no período.

Os grupos educação, leitura e recreação de 0,06% para 0,17%), saúde e cuidados pessoais (de 0,35% para 0,42%), vestuário (de 0,83% para 0,88%) e habitação (de 0,39% para 0,42%) também registraram acréscimos em suas taxas de variação.

Em contrapartida, os grupos transportes (de 0,12% para 0,08%) e despesas diversas (de 0,11% para -0,14%) recuaram na passagem da terceira para a quarta semana do mês.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.