Frederico Lapenda: o brasileiro que conquistou a América
Frederico Lapenda: o brasileiro que conquistou a América

Frederico Lapenda: o brasileiro que conquistou a América

Dos octógonos às telonas, pernambucano é responsável por grandes iniciativas no showbusiness

03 fevereiro 2017

Na década de 1980, com apenas 18 anos, o jovem Frederico tomou uma decisão que mudaria para sempre sua vida: deixou a capital pernambucana, Recife, e foi embora para a Califórnia, na costa oeste dos EUA. Ao contrário do que dizia o clássico de Lulu Santos, que era hit na época, não foi “viver a vida sobre as ondas”. Recebido por uma família americana, chegou para estudar. Logo que concluiu o ensino médio (o chamado high school), começou a trabalhar como entregador de pizzas. Juntou algum dinheiro e montou seus primeiros negócios, que já lhe rendiam o suficiente para pagar a faculdade de Teatro e Cinema. Ali começava sua nova jornada, com a certeza de que – agora, sim, realizando a profecia de Lulu – seu “destino era ser star”.

A história desse brasileiro ainda é pouco conhecida pelo grande público do nosso país. Primeiro porque ele saiu do Brasil muito jovem e construiu toda sua carreira nos EUA. Segundo porque escolheu atuar numa função que passa quase despercebida pelos holofotes, embora seja crucial para que qualquer coisa aconteça, seja no cinema, na televisão ou em qualquer outra atividade de entretenimento: a de produtor, que é quem pilota a produção. Nos bastidores de Hollywood, entretanto, poucos nomes são tão conhecidos e respeitados quanto o de Frederico Lapenda.

Com Danny Glover (esq.) e Michael Madsen


Antes de se consolidar como produtor de cinema, Lapenda aproveitou sua expertise em audiovisual para atuar em outra área do entretenimento: as lutas. Em 1993 conheceu um dos fundadores do UFC, Art Davie. Empolgado com o segmento que dava seus primeiros passos, Lapenda largou tudo e se dedicou integralmente ao Vale Tudo, como era chamado o MMA na época. Seu trabalho foi cuidar da gravação das lutas e licenciá-las para as emissoras de TV. A iniciativa foi um sucesso e seu papel foi crucial para o crescimento da prática esportiva nos EUA e no mundo.

Com Art Davie (esq.), co-fundador do UFC

Anos mais tarde Lapenda se desvinculou do UFC e criou seu próprio evento, o World Vale Tudo Championships (WVC), que por muito tempo foi o segundo maior de MMA. Através dele produziu mais de 100 lutas no Japão, Israel, Ucrânia, Rússia, Holanda e muitos outros. O produtor introduziu o pay-per-view (PPV) na televisão brasileira com a terceira edição do WVC, fez o primeiro PPV no Youtube, com o evento em Moscou, e descobriu algum dos maiores nomes do mundo da luta, como Vitor Belfort, Igor Vovchanchyn, Mark Kerr, Marco Ruas, Pedro Rizzo e muitos outros.

De volta ao cinema

Na década de 1990, Lapenda já era uma lenda do showbusiness com seus eventos de lutas e até hoje é mais lembrado pelos fãs desses esporte pelos trabalhos realizados na área. Mas sua trajetória no cinema não deixa nada a dever. Depois de uma década dedicada à TV, voltou-se novamente para o cinema atuando no prestigiado Grupo Mandalay, responsável por produzir filmes como Sete Anos no Tibet, estrelado por Brad Pitt, e Donnie Brasco, com Johnnie Depp e Al Pacino. Em pouco tempo dentro da companhia, co-fundou a Mandalay-Lonne Renner, um braço independente que produziu um grande sucesso, que foi O Jogo Perfeito, com Chich Marin e Collins Jr. Dali não demorou para que alçasse seu voo solo.

Foi quando Lapenda abriu a Paradigm Pictures, através da qual produz filmes atualmente. Foi de lá que saíram filmes como Bad Guys (bastante premiado no circuito independente) e os grandes sucessos O Ataque das Louras (com Pamela Anderson) e Homens de Coragem (com Nicholas Cage e Danny Glover).

Veja trailer de Homens de Coragem:

Games

As lutas e o cinema ainda não era suficientes para a visão de Lapenda e ele foi ainda mais longe, investindo no mercado de games. Sob o guarda chuva da sua empresa de lutas, a FightGameNet, ele produziu dois videogames estrelados pelos maiores campeões do momento, o Fight Game Rivals, para a Microsoft Xbox, e o Fight Game Heroes, para a Sony Ericsson.

Animação

Lapenda também atua na área de animação. Como chairman da Stan Lee's Kids Universe, desenvolveu um projeto chamado Amazonia, em parceria com o próprio Stan Lee, criador do Homem-Aranha, Capitão America, Hulk e outros.

Inspiradora essa história, não? Compartilhe com seus amigos!

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    café com admMinimizar