FGV: alimentos têm maior alta do IPC-S em 2008

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) de até 31 de dezembro de 2008 subiu 0,52%, informou hoje a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) de até 31 de dezembro de 2008 subiu 0,52%, informou hoje a Fundação Getúlio Vargas (FGV). No índice anterior, de até 22 de dezembro, a fundação apurou alta de 0,61% para o mesmo índice. Com a divulgação do último resultado do IPC-S para o ano passado, o IPC-S fechou 2008 com elevação de 6,07%, taxa superior à registrada em 2007, quando o índice fechou o ano com alta de 4,60%.

Em 2008, os alimentos foram destaque na inflação do varejo medida pelo IPC-S, e terminaram o ano com alta de 10,15%. Esse foi o porcentual de elevação mais intenso entre as sete classes de despesa usadas para cálculo do índice, segundo a FGV.


O segundo patamar de elevação mais forte no ano passado foi registrado pelo grupo Saúde e Cuidados Pessoais (6,27%). Essa classe de despesa foi seguida, em ordem decrescente, pelos aumentos apurados nos preços de Educação, Leitura e Recreação (5,77%); Despesas Diversas (4,69%); Habitação (4,49%); Vestuário (2,92%); e Transportes (2,78%), no ano de 2008.

Ao analisar a movimentação de preços entre os produtos no varejo, no âmbito do IPC-S, a FGV informou que as mais expressivas altas de preço foram registradas em aluguel residencial (6,04%); tomate (110,47%); plano e seguro saúde (7,42%). Já as mais expressivas quedas de preço foram apuradas nos preços de feijão carioquinha (-26,69%); batata-inglesa (-17,80%); e leite em pó (-9,73%).
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.