Estudo mostra preferências de alunos quanto a técnicas de ensino

Algumas das mais bem vistas são as aulas expositivas, discussões em sala, visitas a empresas

Pesquisa feita por Felipe Pereira, Daniel Lins, Ronei Picarte e Rita Castellan, da Universidade Federal de Pernambuco, buscou analisar a existência de associação entre a preferência por técnicas de ensino e características sociodemográficas de estudantes de cursos de ciências sociais. O estudo foi transformado em artigo científico intitulado “Uma análise de técnicas de ensino em ciências sociais e características sociodemográficas dos discentes” e traz resultados associando preferências dos alunos por certas técnicas de ensino ao seu grupo demográfico, como sugere o título.

Para alcançar estes resultados, foi feita uma pesquisa sobre as técnicas que seriam estudadas e também uma análise quantitativa com 89 discentes, visando identificar suas preferências com relação a elas. Os pesquisadores perceberam que as técnicas preferíveis, de modo geral, pelos alunos entrevistados, são as que envolvem os estudos de caso, aulas expositivas, aulas baseadas na solução de problemas, discussões em sala, visitas a empresas e as oficinas/workshops, respectivamente. As práticas de aprendizagem menos apreciadas pelos estudantes são as aulas com uso exclusivo de quadro, leituras durante as aulas, aulas com retroprojetor, seminários apresentados pelos alunos e músicas, respectivamente.

A preferência por certas técnicas, mostra o estudo, pode ser associada ao grupo demográfico e características dos alunos. Isto significa, na prática, que professores devem analisar os grupos a quem estão ensinando, se o objetivo é alcançar excelência em seu desempenho no que diz respeito a técnicas e métodos de ensino escolhidos. Este processo é um pouco menos complicado quando se trata do ensino básico e fundamental, mas no ensino superior, a diversidade de idades, bem como de níveis de formação prévia dificultam a escolha de métodos adaptados a cada turma em específico.

Outros fatores que influenciam nas preferências por técnicas de ensino estão ligadas ao período em que o estudante se encontra, número de horas que ele dedica a estágio, ou estudo em casa, bem como do tipo de instituição (se pública ou privada) e do turno em que estuda. Não foram identificadas diferenças de preferência associadas a gênero ou renda. Para ler o artigo na íntegra acesse este link.

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.