Estudante de Administração prioriza profissionalização em aldeia
Estudante de Administração prioriza profissionalização em aldeia

Estudante de Administração prioriza profissionalização em aldeia

A história de Danila foi contada por uma reportagem especial, produzida pelo jornalista Paulo Melo e realizada pelo Conselho Federal de Administração (CFA), no último mês

O CFAPlay foi a Parintins, no Amazonas, contar a história de Danila Feroye, 18 anos, que decidiu estudar Administração. Ainda jovem e pertencente à comunidade indígena Hixaryana, Danila decidiu morar tão longe de sua família, cultura e seus costumes nativos para aprender as ferramentas da profissão e aplicar o conhecimento adquirido na própria comunidade.

“Pensei em cursar Administração por conta da minha comunidade, para ajudar nossa sociedade, atuando junto com os homens brancos na organização da aldeia em benefício dos indígenas”, disse a estudante.

Atualmente, ela mora em uma república universitária e conta com benefícios do governo para estudar na Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Em entrevista, ela conta que já está se adaptando à nova moradia e gostando da convivência entre os “homens brancos”, como ela costuma chamar os colegas e professores.

“Não é fácil [para o] indígena estudar, mas eu quero e vou ser administradora. Meus colegas me ajudam muito, me respeitam e tratam bem”, ressaltou Danila.

ADM em Pauta

A história de Danila foi contada por uma reportagem especial, produzida pelo jornalista Paulo Melo e realizada pelo Conselho Federal de Administração (CFA), no último mês. Na ocasião, a equipe da autarquia esteve na aldeia e mostrou a realidade do local. Lá, foi possível compreender que o povo indígena tem a necessidade de uma boa administração.

“Para ter uma boa administração na aldeia, ela deve se situar em alguns pontos, como buscar as ideias de todos como um todo, desde os professores, dos agentes de saúde, dos pajés, dos tuxauas e da comunidade. Devemos buscar qualidade de vida e temos que trazer o benefício para a comunidade indígena por meio de de uma boa administração”, ressaltou o cacique da aldeia.

Para a professora do curso de Administração da UFAM, Silvane Mascarenhas, “levar o conhecimento para dentro da aldeia vai ajudar a comunidade a organizar melhor as famílias. Para isso, é preciso contar com uma visibilidade estratégica eficiente”, concluiu.

Os bastidores dessa história de superação e força de vontade você acompanha no CFAPlay, na editoria “ADM em Pauta”. Para assistir, basta clicar aqui!

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento