Escutar: a ferramenta ideal para fazer sua empresa crescer
Escutar: a ferramenta ideal para fazer sua empresa crescer

Escutar: a ferramenta ideal para fazer sua empresa crescer

Mas quem devo escutar para ter um feedback verdadeiro? Quais são as perguntas certas a se fazer? Veja como obter respostas que possam te ajudar enquanto empreendedor

Para receber bons retornos sobre suas ideias de negócios – seja para começar algo ou para criar algum conceito ou novo serviço – o segredo é escutar com atenção o dizem os públicos aos quais se direcionam seus produtos ou serviços. As críticas são mais valiosas do que os elogios – fique atento com esta questão. Familiares, amigos, especialistas, mentores, clientes. Todos podem dar 'pitacos', mas qual é o peso de cada opinião?

Família e amigos – costumeiramente essas serão as pessoas mais receptivas às suas ideias pelo relacionamento pessoal que mantém, e isso os torna, naturalmente, menos isentas no momento de fazerem suas considerações. Muitas vezes sobram mais agrados do que críticas – este último, no final das contas, é o que ajuda um empreendedor a repensar os caminhos e a evoluir profissionalmente. Parentes e amigos, dificilmente, serão tão “duros” na hora de apontar falhas mais graves na concepção da ideia, nos mercados que pretende explorar, na forma de cobranças, etc.. Neste caso, opte por ouvir pessoas isentas, sem envolvimento emocional com você e, tampouco, com outros membros de sua equipe de empreendedores, elas trazem um feedback mais realista para as suas perguntas;

Especialistas-Mentores – sempre que possível, apresente seu projeto para profissionais que tenham mais experiência do que você, em diferentes áreas. O ideal é que não seja feita como uma simples pergunta e resposta, mas sim uma “venda” do produto ou serviço – assim como fará com possíveis clientes e investidores. Por exemplo: se não tem boa formação em Gestão, procure quem seja referência no setor em que atuará e peça uma “ajuda voluntária” – se não arriscar nunca saberá das possibilidades de aprender o que eles sabem. Lembre-se: o conhecimento desses profissionais pode se tornar um atalho para acertos mais rápidos. Cerque-se de pessoas capacitadas e que sejam capazes de somar ao que já desenvolveu. Não entende nada sobre a área Jurídica? Procure advogados que lidem com contratos, áreas trabalhistas e tributárias, etc. Não se esqueça de consultar, ainda, especialistas em TI, profissionais de Comunicação e Marketing para pesquisar se está no caminho certo. Estes, sim, são mais confiáveis para apontar defeitos ou indicar caminhos para o crescimento da equipe e do projeto;

A voz do cliente – E, por fim, e mais importante, após identificar quem são seus possíveis consumidores valide seu projeto/produto com eles. Eles são o termômetro mais próximo que indicará se o que sua empresa oferecerá ao mercado tem ou não interesse de compra. Há quem diga que você deve conquistar nessa fase seus primeiros clientes, e se isso ocorrer você terá um indício de sucesso. Para tanto, procure elaborar perguntas que coloquem o problema que pretende resolver com o seu negócio no centro da atenção. Ou ainda, crie perguntas que consigam te levar a concluir que há uma possibilidade real deste público virar um real consumidor, como por exemplo: “o trânsito intenso te estimula a fazer cursos online?”. Opte por incluir questões, como: “você faria mais cursos à distância se encontrasse ferramentas gratuitas na internet?”, entre outras.
Escutar é sempre complicado – e necessário –, já afirmava o escritor Rubem Alves: “Sempre vejo anunciado cursos de oratória. Nunca vi anunciado curso de escutatória. Todo mundo quer aprender a falar. Ninguém quer aprender a ouvir.” E você? Está pronto para escutar (com maturidade) o que os outros têm a dizer sobre seu negócio?

Thiago Ermano é Jornalista e Assessor de Comunicação da Anunciattho Comunicação

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.