Engajamento x felicidade: o que pesa mais dentro de uma empresa?
Engajamento x felicidade: o que pesa mais dentro de uma empresa?

Engajamento x felicidade: o que pesa mais dentro de uma empresa?

Para uma equipe estar em sintonia, podem surgir alguns desafios, ainda mais em grandes empresas que ampliam suas atuações a cada dia e sempre trazem novas pessoas para os escritório

08 março 2019

Quando pensamos nas grandes empresas e startups mais bem sucedidas, grande parte delas - senão todas - valorizam fortemente os seus times e talentos e possuem uma cultura organizacional muito forte. E quando dizemos isso, sabemos que não se trata apenas de formar bons colaboradores técnicos. É preciso saber balancear as condições para engajar as pessoas no nosso propósito, tudo isso dentro de um ambiente de trabalho que desperte seu brilho nos olhos. Pois, só é possível construir um negócio com potencial global através de time sinérgico, engajado e que caminha na mesma direção!

Para uma equipe estar em sintonia, podem surgir alguns desafios, ainda mais em grandes empresas que ampliam suas atuações a cada dia e sempre trazem novas pessoas para os escritório. Por isso, algumas ações são fundamentais para integração e alinhamento da cultura entre novos profissionais e os antigos, além da manutenção do engajamento daqueles que já estão há mais tempo.

E como promover isso? A felicidade pode gerar mais engajamento, e o engajamento pode gerar mais felicidade. Focar somente em um desses pilares pode ser um erro, pois um não garante o outro. A discussão aqui não é o que vem primeiro, se é o engajamento ou a felicidade, como é o caso da antiga história entre o ovo e a galinha, mas entender que os dois juntos são aliados importantes para garantir grandes resultados e manter as pessoas motivadas, colaboração para retenção de talentos.

Também não é aconselhável que companhias que possuem uma cultura forte em resultados, deixem de pensar na felicidade dos seus funcionários, pois a sua produtividade pode cair se ele estiver descontente. Da mesma forma que pensar somente na felicidade e na qualidade de vida da sua equipe, esquecendo do engajamento e do resultado, também não vai mantê-la viva.

Quando um novo profissional chega ao nosso Grupo, por exemplo, ele passa pelo onboarding institucional - uma espécie de treinamento em que aprende sobre nosso histórico, o Jeito Moviliano de Ser e nossa cultura. Além disso, também são aplicados procedimentos, padrões de segurança sobre canais internos de comunicação, posicionamento de marca, entre outras ações que possam inseri-lo em nosso universo.

Os novos funcionários também recebem um welcome kit em casa com uma mochila, moleskine e outros acessórios para se sentirem parte do nosso time antes mesmo de iniciarmos nosso trabalho do dia a dia. Além disso, o colaborador que tem filhos ganha um kit nascimento, que inclui alguns itens como: um body, uma mamadeira, uma fralda de pano, entre outros itens.

Mas os desafios de integração vão ainda além quando falamos de um ecossistema com diversas companhias - como é o nosso caso, em que cada empresa possui independência e particularidades entre si, mas se unem nos valores, sonhos e desafios. Acreditamos que esse fato em si já traz enriquecimento para cada pessoa que passa pela nossa empresa, uma vez que todos têm um papel essencial para o bom funcionamento e cada empresa tem uma razão de existir e ajudar uma à outra.

Com isso, percebemos que o funcionário que começa a fazer parte deste sonho tão grande - e que entende a união das empresas - possui uma grande oportunidade de se desenvolver de diversas maneiras, trocar muito conhecimento com empresas de vários segmentos, aprender e absorver para se adaptar rápido e crescer junto. Não é à toa que nosso lema é #FasterTogether e que todos os escritórios são open spaces, com pessoas de diversas empresas trabalhando em conjunto, o que facilita muito a troca de informações e mantêm equipes mais engajadas e felizes.

Nossa experiência nesta área nos dá credibilidade para dizer que é possível equilibrar engajamento, felicidade e ambição. Cobramos muito pelo resultado e é por isso que queremos pessoas engajadas. Sendo assim, nunca deixamos que se esqueçam: todos precisam estar nas empresas que escolheram pelo propósito e porque são apaixonadas pelo negócio. Queremos que elas vibrem com a empresa, que estejam jogando o mesmo jogo e sendo felizes com os resultados. Assim, todos sonham e crescem juntos!

Natália ZeferinoCoordenadora de Gente da Movile.

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    café com admMinimizar