Empresas e desenvolvedores conectados: um mundo mais digital e tecnológico

Dados revelam uma distância entre os objetivos pretendidos pelos empresários e a qualidade do serviço prestado pelos desenvolvedores

Em um mundo onde a tecnologia está em tudo, os profissionais responsáveis por garantir o bom funcionamento destas soluções ocupam lugar de destaque dentro das organizações e startups. Os desenvolvedores são os encarregados de tirar as ideias inovadoras do papel e transformá-las em realidade, melhorando a vida das pessoas e facilitando processos dentro do ambiente corporativo. Para garantir que este objetivo seja atingido, é necessário que haja uma aproximação maior entre as empresas e esses profissionais, de forma que as duas partes possam sair ganhando em conhecimento e inovação.

Dados da pesquisa do Stack Overflow, um dos maiores fóruns de desenvolvedores do mundo, revelam uma distância entre os objetivos pretendidos pelos empresários e a qualidade do serviço prestado pelos desenvolvedores. Apesar do alto grau de complexidade dos recursos tecnológicos em todo o mundo, um quarto dos profissionais admitem que não possuem curso superior na área e 81% do total admitem que encaram o desenvolvimento e a programação como um hobby. Além disso, um quarto dos colaboradores participa de hackathons, principalmente porque considera divertido.

Encontrar desenvolvedores qualificados para encarar as tendências tecnológicas nas mais diferentes áreas é um dos principais desafios que a comunidade enfrenta atualmente. Grande parte das startups e empresas que trabalham diretamente com tecnologia lidam com recursos, linguagens e serviços de altíssima complexidade. Assim, encontrar colaboradores que consigam dar conta desta demanda é algo extremamente difícil. No Brasil, os melhores profissionais costumam atuar individualmente ou estão sob contrato de corporações do país ou, como é mais comum, no exterior.

O desafio é atrair esses profissionais para dentro das empresas. Uma alternativa interessante é a organização patrocinar – e participar – de eventos e feiras destinadas aos desenvolvedores. Ainda que os melhores especialistas na área normalmente não estejam presentes, é uma forma de começar um relacionamento com a comunidade e de identificar possíveis talentos que possam contribuir para o crescimento da companhia no futuro – além, é claro, da possibilidade de fazer networking e descobrir novos conceitos e tendências para aplicar em seu dia a dia.

Hoje, a margem de erro de uma empresa que trabalha com tecnologia é cada vez menor. Qualquer solução instável ou que apresente falhas ao consumidor será trocada pela concorrência rapidamente – e não conseguirá recuperar o terreno perdido. Em algumas áreas, essa questão é ainda mais primordial. Fintechs, por exemplo, sequer tem espaço para erro. Um desenvolvimento errado de um recurso pode acarretar em prejuízo financeiro para todos os usuários. Por isso, a necessidade de encontrar e formar bons profissionais no mercado de trabalho.

Enquanto algumas profissões deixaram de existir, outras cresceram e se consolidaram com a evolução tecnológica das últimas décadas. É impensável imaginar a nossa vida sem alguns produtos ou serviços criados a partir de desenvolvedores. Mas para que esse crescimento seja contínuo e novos recursos inovadores e eficientes estejam a nossa disposição, é necessário aproximar esses profissionais das empresas que idealizam essas soluções. Quando essas duas partes estiverem, de fato, conectadas, o mundo ficará ainda mais digital e tecnológico.

Victor DubugrasHead de Marketing da Hash, fintech especializada em infraestrutura de pagamentos – www.hash.com.br

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.