Cooperativa qualifica profissionais da hotelaria

Entidade da Serra gaúcha transforma funcionários em empreendedores

Caxias do Sul - Qualificar o trabalho de profissionais do setor hoteleiro é, atualmente, um dos principais desafios da Cooperativa Gaúcha de Hotéis e Turismo Ltda. Fundada em julho de 2003, a entidade nasceu para manter os postos de trabalho da empresa que administrava a rede Alfred de hotéis.

Depois do pedido de autofalência da companhia, surgiu a idéia de criar legalmente a cooperativa para gerenciar a marca Alfred, conta o presidente José Luiz Talin. Com a manutenção de quatro hotéis, dois em Caxias do Sul e dois em Porto Alegre, foram preservados 120 empregos. "Os antigos funcionários são os atuais associados e, portanto, empreendedores donos do próprio trabalho", salienta o empresário.


Para firmar os novos direitos e responsabilidades no dia-a-dia desses profissionais, a cooperativa atua na constante atualização e qualificação. "Em oito meses, promovemos muitas melhorias em todos os setores dos hotéis", observa Talin.

Em parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) no Rio Grande do Sul, a cooperativa realiza cursos e treinamentos para todos os associados. "Precisamos ficar atentos às necessidades dos hóspedes e a participação do Sebrae é fundamental nessa conscientização", destaca.

A atuação da cooperativa está servindo de exemplo para outras companhias brasileiras, garante o dirigente. "Empreendedores de São Paulo já nos procuraram para obter informações sobre a nossa experiência", conta. Ainda neste mês, quando será realizada a assembléia geral da empresa, serão distribuídas as sobras financeiras apuradas no exercício de 2003.

"As parcelas serão iguais, das camareiras ao presidente", lembra Talin. Com a experiência de quem trabalha há 18 anos no setor hoteleiro, o ex-gerente de Recursos Humanos José Luiz Talin aconselha os futuros empreendedores a ampliar seus conhecimentos através de treinamento. "Um exemplo dessa necessidade é ter condições de fornecer boas informações aos turistas", comenta.

Além dos 120 profissionais, a rede precisou contratar 13 funcionários temporários para atender à grande procura ocasionada pelos diversos eventos e feiras que acontecem na Serra gaúcha. "Em Caxias do Sul o momento é positivo para a hotelaria. Em Porto Alegre, entretanto, os negócios foram reduzidos porque não houve o Fórum Social Mundial neste ano", aponta o empresário.

Os dados calculados pelo Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Porto Alegre comprovam essa informação. Segundo a entidade, em janeiro deste ano houve queda de 31% em relação ao volume de hospedagem registrado no mesmo mês de 2003, quando aconteceu o fórum em Porto Alegre.

No total, a Capital gaúcha registrou apenas 36,82% das unidades ocupadas no primeiro mês de 2004. A pesquisa envolve 17 estabelecimentos de classe turística, com 1.862 unidades de hospedagem.


Serviço:
Cooperativa Gaúcha de Hotéis e Turismo: (54) 221 8655

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.