Café com ADM
#
Como a transformação digital impulsiona o crescimento da interconexão
Como a transformação digital impulsiona o crescimento da interconexão

Como a transformação digital impulsiona o crescimento da interconexão

Até 2021, a indústria deverá consumir 12% de toda a capacidade de velocidade de Interconexão globalmente em todos os setores do mercado

As indústrias estão passando por tantas transformações digitais que os analistas apelidaram esse momento de Indústria 4.0, sendo que a versão 5.0 não está muito distante. De acordo com uma pesquisa da PwC, os impulsionadores da Indústria 4.0 incluem a digitalização das cadeias de valor, tanto verticais quanto horizontais, e as ofertas de produtos e serviços, bem como o desenvolvimento de novos modelos de negócios digitais e de plataformas de acesso do cliente. As tecnologias que contribuem para esse cenário compreendem os dispositivos móveis, as plataformas de internet das coisas (IoT) - por exemplo, a Internet Industrial-, cloud computing, análises de big data e interfaces homem-máquina avançadas.

Essas tecnologias emergentes estão revolucionando o setor industrial com diversas aplicações que se beneficiam da Interconexão — a troca de tráfego direta e privada entre parceiros de negócios — para obter alta performance e baixa latência.

Visibilidade da cadeia de fornecimento

Os fabricantes tiveram que enfrentar por muito tempo uma cadeia de fornecimento dependente de papel e ineficiente. Mas tudo isso está mudando à medida que se movimentam em direção à integração e à transparência de dados em toda a cadeia.

As análises de dados que incorporam informações externas sobre o governo, o clima e feriados, além de dados da cadeia de valor, podem fazer com que todos otimizem suas decisões sobre produtos, preços e estoques; personalizem produtos de forma mais inteligente; e lancem seus produtos no mercado de forma mais rápida, especialmente durante picos sazonais. As análises de dados na cloud e os dados de compra e preferências do cliente aprimoram esse processo.

A Interconexão na digital edge, perto dos clientes, parceiros e fornecedores, permite uma performance e latência em tempo real em todas essas conexões. Segundo o Global Interconnection Index (GXI), um estudo de mercado publicado anualmente pela Equinix, a capacidade total da velocidade de Interconexão com os parceiros da cadeia de fornecimento crescerá de 40 Tbps para 158 Tbps, com base em uma taxa composta de crescimento anual de 41% entre 2017 e 2021 em todos os setores.

Manutenção preditiva

As análises de dados baseadas na coleta de dados dos sensores da Internet das Coisas Industrial (IIoT), distribuídos entre os componentes de fabricação e produtos acabados, permitem que os fabricantes prevejam e abordem problemas de manutenção e reparo antes que afetem negativamente o processo de fabricação e a experiência do usuário final. Essas soluções de IloT reduzem o número de incidências de falha de componentes e produtos e fornecem informações valiosas para a otimização de produtos futuros.

O volume considerável de dados que é transmitido cada vez mais fora de sensores dispersos precisa ser coletado e analisado praticamente em tempo real para que a manutenção preditiva funcione. Por exemplo, uma indústria aeroespacial coleta grandes volumes de dados de sua conectada plataforma de aeronaves todas as vezes que os aviões pousam e decolam nos aeroportos do mundo inteiro. A plataforma utiliza inteligência artificial baseada na cloud, aprendizagem de máquina e análises de dados para a manutenção preditiva dos componentes da aeronave — um exemplo perfeito de caso de uso de análises de dados praticamente em tempo real por meio da Interconexão na digital edge.

Servitização

Esta é uma tendência industrial que está emergindo rapidamente, na qual o produto fabricado e os dados do cliente se tornam uma plataforma para oferecer ao usuário um ou mais serviços integrados durante todo o ciclo de vida do produto, o que algumas vezes acaba sendo mais rentável do que o próprio produto. Esses serviços podem incluir de tudo, desde receitas que incorporam um produto alimentício até contratos de manutenção preventiva que tiram proveito da IoT, da manutenção global e dos dados de utilização do produto. Os serviços de gestão de documentos da Xerox, que são vendidos com suas impressoras e copiadoras, constituem um bom exemplo da servitização. A servitização muitas vezes requer a exploração da IoT, dos dados do cliente e de outros dados para entender como os produtos são usados e quais serviços os clientes desejam. O projeto do produto muitas vezes incorpora dados de manutenção preditiva, além do feedback do usuário gerado nas mídias sociais e em outros canais de colaboração fabricante/usuário.

Interconexão está pronta para decolar

A troca de dados direta se torna possível quando os serviços de cloud e os parceiros da cadeia de fornecimento são colocados nesses pontos de controle que podem ser interconectados com outros pontos de controle em data centers neutros para fornecedores em locais estratégicos das áreas metropolitanas. O GXI estima que a capacidade instalada de velocidade de Interconexão em todos os mercados poderia alcançar mais de 8.200 Tbps, um aumento de cinco vezes em cinco anos. A velocidade de Interconexão é a capacidade total disponibilizada para troca de tráfego privada e direta com um conjunto diversificado de contrapartes e provedores em pontos de troca de TI distribuídos dentro data centers carrier-neutral.

Entre os setores individuais do mercado, prevê-se que a indústria ocupe o quarto lugar em termos de crescimento da velocidade de Interconexão global, com uma capacidade global de 975 Tbps até 2021, graças a uma saudável taxa composta de crescimento anual de 56% no período entre 2017 e 2021. Segundo o GXI, estima-se que até 2021 a indústria deverá consumir 12% de toda a capacidade de velocidade de Interconexão globalmente em todos os setores do mercado.

Kyle ChienGerente de marteting de produtos da Equinix

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.