Café com ADM
#

CIOs do varejo estão preparados para liderar a inovação, aponta estudo

Eles demonstram potencial para serem os agentes de mudança ao utilizar uma tecnologia disruptiva para inovar e impulsionar o crescimento do negócio

No cenário varejista atual, focado no consumidor e apresentando mudanças rápidas, existe uma necessidade extrema de que os CIOs do setor troquem o foco no 'back office' e se voltem à inovação como estrategistas do alto escalão, aponta o estudo divulgado pela Tata Consultancy Services (TCS), empresa de serviços de TI, consultoria e soluções de negócios.

A TCS contratou a Forrester Consulting para realizar no fim de 2013 o estudo 'A Agenda Global dos CIOs do Setor Varejista', visando avaliar a situação da TI no varejo mundial e as atitudes e planos dos CIOs com relação às principais tendências e às tecnologias cada vez mais disruptivas e desafiadoras. Entrevistas minuciosas com executivos do alto escalão e de TI de empresas de varejo com presença mundial mostraram que o potencial dos CIOs para adotar tecnologias disruptivas é, na maioria das vezes, dificultado pela falta de recursos e alinhamento corporativo. Isso é ilustrado pelo fato de que quase dois terços (64%) dos varejistas de presença mundial consideram a redução de custos como o principal foco para os próximos anos, contra apenas dois quintos (38%) citando a inovação.

"Os CIOs do varejo encontram-se em uma posição única, com uma perspectiva geral da empresa, para superar silos operacionais e tornarem-se verdadeiros agentes de mudança, o que é crucial para futuros compromissos com clientes multicanal e crescimento dos negócios", comenta Pratik Pal, presidente da unidade de Varejo, CPG, Viagens, Transporte e Hotelaria da TCS. "Eles estão preparados para expandir seu papel de liderança no novo mundo dinâmico do varejo ao encabeçar a agenda digital e da inovação."

As principais prioridades dos executivos do comércio varejista continuam sendo o aumento da receita - com 87% deles indicando-a como uma prioridade - baseado na integração multicanal e no compromisso com o cliente digital. Os CIOs do setor varejista acreditam que as tecnologias disruptivas como mobilidade, mídias sociais, nuvem e Big Data continuarão a transformar radicalmente o status quo do setor varejista, ainda que eles não possuam equipe e nem estrutura adequada para tirar o máximo proveito disso.

"É interessante notar que as prioridades de TI mudam conforme a região do mundo. Enquanto nos Estados Unidos a redução de custos é o principal objetivo, na América Latina a grande prioridade é aumentar a capacidade de provocar mudanças", destaca Ankur Prakash, COO da TCS para América Latina.

Tecnologias móveis: na vanguarda da inovação que continuará a afetar o varejo nos próximos anos
· Os CIOs planejam implementar rapidamente uma série de tecnologias móveis, com tecnologia sensíveis ao contexto (32%), pagamentos móveis (28%), sinalização digital (24%) e POS móvel (22%) na liderança.
· Os CIOs do setor varejista no Reino Unido são os líderes mundiais, ao já terem implementado algumas formas de pagamentos móveis (73%), enquanto, curiosamente, os varejistas alemães resistem à tendência global, com 60% não apresentando nenhum plano para a tecnologia móvel.
· Talvez visando melhorar ainda mais o atendimento ao cliente e a logística, seis em cada dez (59%) varejistas planejam investir na capacitação da utilização de tecnologias móveis por parte de seus parceiros e fornecedores no decorrer dos próximos três a cinco anos.

Nuvem: libera as equipes de TI de funções primordiais tradicionais para permitir uma maior inovação
· Enquanto atualmente 41% dos CIOs do setor varejista utilizam o Software-as-a-Service (SaaS) para as funções de back-office, como cadeia de suprimentos e gerenciamento da vida útil do produto ou ERP, mais da metade (52%) pretende fazê-lo ao longo dos próximos cinco anos.

Big Data: ainda não é utilizado com todo seu potencial para impulsionar percepções factíveis
· Quase sete em cada dez (68%) CIOs do setor varejista relatam que coletam dados, mas concordam que não estão tirando o máximo proveito do valor dessas informações.
· Apenas 47% têm investido em análise multicanal - uma tecnologia importante que permite obter percepções multicanal e aumentar a capacidade da empresa de alcançar os consumidores de forma eficaz através de seu canal de escolha.
· Além disso, apenas um quarto (25%) dos varejistas planejam investir em análises de big data para dar suporte ao atendimento ao cliente.

Mídias Sociais: buscando ampliar o alcance e a aplicação da inteligência nas mídias sociais
· Talvez não seja surpreendente o fato de que oito em cada dez (80%) CIOs do setor varejista tiram proveito das mídias sociais para vendas e marketing, sendo que o atendimento ao cliente e o recrutamento são os recursos mais comuns.
· No entanto, quase metade (46%) dos varejistas planeja estabelecer um elo entre P&D e o desenvolvimento de produtos com as percepções obtidas nas mídias sociais nos próximos três a cinco anos - destravando o desenvolvimento de produto voltado ao cliente.
· As empresas canadenses estão muito à frente de outros países/regiões, com 67% delas já tirando proveito das mídias sociais para P&D.

Escassez de talentos: a falta de conhecimentos técnicos é um dos principais obstáculos na implementação de estratégias de tecnologia crítica
· Quase sete em cada dez (67%) varejistas pesquisados ​​consideram atrair e reter talentos como um desafio extremamente importante para os próximos três a cinco anos.
· Na área de mobilidade, em especial, um terço (34%) relata enfrentar dificuldades para obter os talentos necessários.
· Da mesma forma, quatro em cada dez CIOs buscam soluções de SaaS (39%) e são obrigados a suprir os parceiros externos com expertise na tecnologia móvel (igualmente 39%), visando oferecer suporte às equipes internas enquanto desenvolvem estratégias e aplicações móveis.

"Os CIOs antenados continuarão a impulsionar a redução de custos ao acessar as mais recentes inovações tecnológicas e suprir os parceiros para fornecer não apenas serviços, mas também, recursos de alto valor e difíceis de encontrar, como desenvolvimento de tecnologia móvel, definição de arquitetura e exigências corporativas. Ao fazerem isso, os CIOs podem concentrar seus recursos internos na estratégia, no alinhamento do negócio e na governança junto aos parceiros, enquanto os parceiros se concentram na excelência técnica", analisa Pratik Pal, da TCS. O estudo completo está disponível no link: http://on.tcs.com/2014-Retail-CIO-Study.

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.