Carros mais avançados são necessários para combater acidentes

Representantes da indústria da mobilidade se reuniram em Sorocaba/SP nesta quarta-feira (19), para discutir as necessidades de carros com equipamentos mais modernos e eficientes

21 março 2014

Investir em tecnologia é necessidade para que cada vez menos mortes ocorram no trânsito. Com essa linha de discussão, o Simpósio SAE BRASIL de Dinâmica Veicular se norteou, nesta quarta-feira (19), em Sorocaba, onde cerca de 130 profissionais da indústria, acadêmicos e estudantes de engenharia compareceram.

Antônio Carlos Canale, professor doutor na Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo e pesquisador e consultor em dinâmica veicular, afirmou que a dinâmica está diretamente ligada à segurança e à economia de combustível nos veículos. “Essa área pode e tem muito a contribuir com o desenvolvimento de tecnologias para deixar nossos carros mais seguros”, disse Canale.

A supervisora de desenvolvimento de freios para caminhões da Ford, Silvia Faria Iombriller, apresentou dados alarmantes das mortes nas vias urbanas. Segundo ela, o número de vítimas do trânsito em 2012 seria suficente para lotar nove estádios de futebol. “É como se tivéssemos uma queda de avião por dia”, afirmou.

Para a engenheira, a obrigatoriedade do uso do ABS no Brasil foi um fator muito importante para a busca da diminuição de acidentes, pois a União Europeia reduziu seus acidentes viários em 60% desde a obrigatoriedade do sistema. “Quando o veículo possui essa tecnologia o condutor se sente motorista o tempo todo, pois ele sabe que terá controle total do carro mesmo em circunstâncias de perigo”, disse Iombriller.

O analista técnico do CESVI Brasil (Centro de Experimentação e Segurança Viária), Gerson Burini, comentou sobre segurança na frenagem das motocicletas. Nas vias brasileiras rodam atualmente 18 milhões de motos. Em 2000 eram apenas 4 milhões, isso representa um aumento de 357% em 11 anos. “Com esse considerável crescimento as estatísticas de mortes em acidentes também subiram de 7 mil para 17 mil no mesmo período”, comentou. Apesar de ainda existirem condutores que não conhecem a tecnologia ABS para motocicletas ou mesmo aqueles que a acham desnecessária, Burini concluiu que o sistema se torna extremamente necessário. “Como esse veículo se equilibra em apenas duas rodas, a frenagem deve ser muito precisa, por isso o uso do sistema é muito importante”, afirmou.

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    café com admMinimizar