Ações do BC não seguram alta de 1,3% do dólar

Moeda americana terminou o dia cotada a R$ 2,327. Banco Central fez leilões à vista e com compromisso de recompra

O Banco Central (BC) voltou a realizar intervenções no mercado cambial nesta terça-feira (13), mas não conseguiu impedir a elevação na cotação do dólar frente ao real. A divisa terminou o pregão com alta de 1,35%, aos R$ 2,327.

Nesta terça-feira, o Banco Central vendeu US$ 500 milhões em leilão de venda da moeda norte-americana com compromisso de recompra. No leilão com recompra em 4 de maio de 2009 foram aceitas três propostas. A taxa máxima da recompra ficou em R$ 2,394868. Além disso, o BC também realizou leilão de dólares no mercado à vista, tentando assim conter a trajetória de alta no preço da moeda.


A autoridade monetária comunicou ainda que fará amanhã novo leilão de recompra, combinado com compromisso de repasse dos recursos em linhas de Adiantamento sobre Contratos de Câmbio (ACC) e Adiantamento sobre Cambiais Entregues (ACE) - instrumentos utilizados para financiar exportações.

Tal modalidade de operação, que deriva do leilão de linha, foi anunciada pela autoridade monetária em novembro do ano passado e visa prover crédito ao comércio exterior. Esta será a primeira operação do gênero em 2009. No último leilão, realizado dia 3 de dezembro, o BC colocou US$ 1,957 bilhão de um lote de US$ 2 bilhões.

Fatores do pregão


Segundo analistas de mercado, a variação da moeda "é o resultado do que está acontecendo lá fora... A gente só tem más notícias", afirmou João Medeiros, diretor de câmbio da Pioneer Corretora.

Para Medeiros, o movimento global do dólar também influenciava o mercado de câmbio doméstico. Nesta terça, a moeda americana ganhava valor frente a uma cesta com as principais divisas globais.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.