Zona de conformismo

O artigo levanta a questão: Estou em uma zona de conforto? Propõe ao leitor uma reflexão sobre quais são suas demandas atuais e quais são as demandas do mercado. Estaria o leitor indo em direção a suas metas ou em direção as metas propostas por outros?

O termo Zona de Conforto é bem difundido nos dias atuais, refere-se aquela situação em que o indivíduo desempenha comportamentos que lhe dão segurança, limitando dessa forma seu crescimento pessoal e profissional. Recomenda-se sair dessa Zona de Conforto em busca de crescimento, o que eventualmente te levará a uma nova Zona de Conforto.

Hoje em dia somos bombardeados com ideias para sairmos de nossa Zona de Conforto, vende se ideias de que é preciso estudar inglês e quando você aprende, logo tem que falar também o espanhol, que quando tiver fluência já não vai bastar, será preciso o Alemão e também o Mandarim.A Após a faculdade é necessária a especialização, o MBA, o mestrado profissional, e assim em diante, nunca paramos para refletir se não saímos da Zona de Conforto para uma Zona de Stress.

Ou então qual o nosso real objetivo de se sair da Zona de Conforto? Saio hoje da Zona de conforto pelos próximos 20 anos para estar em uma Zona de conforto maior na velhice?

Escuto muita gente pregando para as pessoas saírem da comodidade para crescerem profissionalmente e assim alcançarem uma aposentadoria melhor. Será esta a verdadeira razão para alguém sair da sua Zona de Conforto? Para ter um futuro mais proveitoso em outro momento de sua vida?

Será que os gurus que vendem remédios prontos para todos não deveriam avaliar os objetivos de cada pessoa antes de propor o pacote, “faça isso e seja feliz”.

O que proponho a você leitor é: identifique seus desejos, aonde quer chegar e o que falta para chegar lá?

Esqueça a idéia de abandonar a Zona de Conforto de hoje só para encontrar uma Zona de Conforto melhor amanhã.

Quem gasta o hoje para viver o amanhã não vive nenhum dos dois.

Minha idéia é que todos devem sair do que chamo de Zona de Conformismo.

Você leitor simplesmente se conformou com o que conseguiu até hoje?

Acredita que pode ser melhor na vida profissional, familiar, social? Contribui como gostaria com suas capacidades para formar uma sociedade melhor?

A minha proposta entre a diferença de estar no conforto ou no conformismo, não é te dizer o que é melhor para você, e sim o leitor dizer a si aonde deve mudar; se a situação em que se encontra hoje é fato de suas escolhas ou de sua passividade perante as adversidades; da crença que as coisas eram assim antes e devem continuar assim; de estar conformado e não satisfeito com o Statu Quo.

Quando olha para sua saúde sente-se satisfeito, ou entende que pode fazer algo a mais por si mesmo?

Basta-lhe falar um idioma ou tem a vontade de aprender outros?

O cargo que ocupa hoje te traz satisfação profissional ou entende que pode ser mais?

Se uma das respostas for não, então acredite você está dentro dessa Zona de Conformismo, a inércia tomou conta de você e recomendo que se levante de sua poltrona e vá fazer o que deseja, seja a diferença na vida de alguém, não importa em qual aspecto esteja seu sonho, vá em busca dele.

Lembre-se não morra sentado em uma poltrona, mas levante-se dela para fazer algo que realmente queira.


Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Carlos Paula

    Carlos Paula

    Fundador da empresa Ouroboros Treinamentos e Coaching. Possui experiência profissional em multinacionais nas áreas da Indústria e Comércio. Escritor, professor e palestrante para as áreas comportamentais. Leva em suas palestras temas como: motivação, ética, valores humanos, gestão de mudança, visão holística, desenvolvimento pessoal, entre outros. É escritor Best Seller da Amazon com o E-book: Coaching como ferramenta de transformação, como transformar sonhos em metas realizáveis,seu último e-book: "Qual é a nossa Crise?", trata de reflexões sobre ética no cotidiano e qual a responsabilidade de cada um na construção de um mundo mais ético.
    café com admMinimizar