WhatsApp: antes de proibir, pense!

WhatsApp, Viber, Snapchat: proibir ou regulamentar o uso dentro da minha empresa?

Não precisamos dizer que aplicativos que servem para trocar de mensagens entraram em nossas vidas e dificilmente irão sair. Então se não podemos com eles, que possamos utiliza-los da melhor maneira.

Para os empresários aplicativos como o Whatsapp podem virar uma dor de cabeça se os colaboradores não souberem utilizar a ferramenta. O grande receio que percebo é o foco da atenção nas conversas com os amigos e o trabalho ficando em segundo plano.

Se o perfil da empresa permitir é preciso que se estabeleça regras e horários. Exceções devem ser permitidas desde que sejam previamente comunicadas.

E como não há volta é possível fazer o atendimento ao seu cliente pelo aplicativo, seja ele o próprio Whatsapp ou ainda Snapchat ou Viber. O diálogo pode incluir desde a compra até o pós-venda. O procedimento representa ganho de tempo, agilizando a conversa com seu cliente e também evita despesas.

Grandes empresas já desenvolveram tais premissas. Um grande exemplo é a Chevrolet que criou números para atender aos seus interessados em seus veículos. Já a Porto Seguro realiza negociações com pessoas em débito com a corretora.

O futuro será cada vez mais mobile, por isso antes de proibir, pense. É melhor dialogar com quem está ao seu lado e regulamentar o uso. Pois, no mundo dos aplicativos todos podem ganhar!

ExibirMinimizar
Digital