Você procura por motivação diariamente? Tome cuidado

A motivação é somente uma das ferramentas que nós temos. É importante saber quando utilizar e quando não utilizar ela. Devemos tomar cuidado, portanto, com a "inflação de motivação"

Um dos assuntos mais comentados na área da administração e na área de carreira é sobre a motivação, sobre o “motivo que nos move à ação”. Vemos dezenas de artigos sobre este mesmo tema aparecerem diariamente em blogs, revistas, jornais e afins. Mas existe um problema, que eu chamo de “inflação de motivação”.

Com tantas fontes se voltando à motivação, acabamos consumindo material demasiado sobre esse tema, e acabamos dando valor superestimado a esse único fator, como se ele fosse colocado em um altar, acima de todos os outros elementos. Embora seja muito “bonito” falar sobre o tema, pois nos atinge diretamente em nossas emoções internas, esse elemento pode não ser tão importante assim.

Muita gente acredita que a motivação é o único recurso disponível para atingirem seus objetivos, e isso é uma concepção equivocada. Nós temos uma maleta cheia de ferramentas que podemos utilizar, mas acabamos utilizando somente uma delas para todas as ocasiões. Se você utilizar somente uma única ferramenta de sua caixa, vai acabar gastando ela ao ponto de torna-la inutilizável. Sim, a força de vontade (ou motivação) é um recurso finito, e assim que ela for gasta, pode levar a resultados catastróficos para a sua mente.

A motivação é irrelevante se não houver compromisso. Quando falamos em compromisso, estamos falando em aceitar em nossas vidas que iremos passar por dificuldades para atingir aquele determinado objetivo que desejamos. Ou seja, mudamos a nossa vida e os nossos hábitos para encaixar aquele mesmo objetivo em nossa rotina.

Como diz Jim Rohn, “motivação sozinha não é suficiente. Se você tem um idiota e você o motiva, agora você tem um idiota motivado”. A motivação jamais irá garantir que você irá atingir seus objetivos, e é por isso que não devemos superestima-la.

As pessoas que atingem objetivos precisam passar por cinco etapas, sendo que a motivação engloba no máximo duas delas. Elas são: preparação psicológica, planejamento, perspiração, perseverança e persistência, segundo Dr. John Norcross, autor do livro “Changeology”. Utilizar a motivação na etapa de planejamento não somente não ajuda como até mesmo sabota o processo.

É importante, portanto, saber quando utilizar cada uma de suas ferramentas. Utilizar uma chave de fenda para pregar é esperar por problemas. Como administrador e/ou profissional, é o seu trabalho utilizar cada ferramenta na hora certa.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento