Você é um profissional proativo?

Pessoas proativas tomam a iniciativa, criam movimento, são dinâmicas, colocam-se a disposição, assumem responsabilidade, não adotam uma postura vitimista e principalmente percebem que fazem parte de um contexto e que sua atitude impacta algo ou alguém

Hoje, a proatividade tem sido uma das características mais importantes procuradas nos profissionais. De acordo com o Priberam dicionário online de português, proatividade é a capacidade que alguém ou algo tem de fazer com que determinadas coisas aconteçam ou se desenvolvam. Mas o que representa isto na prática e como desenvolvemos essa habilidade?

Ter essa visão aguçada tanto para as coisas de dentro como as de fora requer habilidades pessoais combinadas com um ambiente propício para o desenvolvimento da proatividade. Segundo Stephen R. Covey no livro “Liderança Baseada em Princípios”, ser proativo é o dom natural do autoconhecimento ou autoconsciência...” quem consegue ter uma boa estima por si mesmo amplia a visão sobre as coisas que acontecem ao seu redor e acaba por desenvolver o estímulo para o autoconhecimento que permite uma ação e não somente uma reação.

A proatividade tem relação com a autobservação; como eu me comporto com relação às pessoas ou às coisas que me cercam? Eu ajo ou reajo às situações? Ser uma pessoa proativa é agir de maneira consciente, ou seja, ter liberdade de escolha da resposta, diferente de uma pessoa reativa que espera que algo lhe aconteça para somente então reagir.

Você já ouviu falar daquela velha história que o dono da empresa colocou uma vassoura no meio da fábrica onde era o caminho da maioria das pessoas e levou seus futuros colaboradores (que estavam em processo de seleção) para conhecer a fábrica, aproveitando a oportunidade para realizar o teste da vassoura, isso é, observar quem teria a iniciativa de retirar a vassoura do meio do caminho e colocá-la em lugar mais apropriado.

Pessoas proativas tomam a iniciativa, criam movimento, são dinâmicas, colocam-se a disposição, assumem responsabilidade, não adotam uma postura vitimista e principalmente percebem que fazem parte de um contexto e que sua atitude impacta algo ou alguém.

No ambiente de trabalho, algumas vezes, somos confrontados com situações, nas quais, alguns colegas não admitem suas próprias falhas e com uma rapidez incrível acham pessoas para depositarem a culpa e se isentar da sua responsabilidade.

Abaixo, listo algumas práticas que nos permitem adquirir uma postura mais proativa:

  • Refletir mais sobre nós mesmos para promover o autoconhecimento;
  • Listar nossas qualidades e os aspectos que ainda precisamos melhorar;

  • Identificar as crenças limitantes que podem estar nos impedindo de ser proativo e trocando-as por outras através de frases autoafirmativas como; “Eu me permito tomar novas atitudes perante determinados problemas”;
  • Observar nosso comportamento em relação às diversas circunstâncias;
  • Desenvolver pensamentos positivos para dirimir os conflitos e buscar novas oportunidades;

  • Treinar a visão do todo, ou melhor, procurar conhecer de qual forma minha atividade ou ação impacta em algo ou alguém.

Houve uma vez que, em um dos feedbacks dados pelo meu supervisor de estágio, foi mencionada a necessidade de eu ser mais proativa e desde então, aquela palavra não saiu da minha mente. Mas por incrível que pareça somente agora, passados alguns anos, consigo entender o real significado desta palavra, colocar o foco dentro do meu círculo de influência (onde eu posso atuar) e sem o autoconhecimento fica quase impossível de enxergar esses movimentos necessários na vida!

Mudanças de crenças, novos valores, posicionamentos, atitudes, isso tudo faz parte do conjunto de novos hábitos e reflexões que estou inserindo em minha vida para poder colocar a minha atenção para dentro de meu círculo de influência e nesse momento, esse texto é onde estou agindo!

E você, já pensou se está realmente colocando foco onde pode atuar, pois quem sabe não está ali a grande oportunidade da sua vida, portanto esteja atento!

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento