Café com ADM
#

Você é capaz de vender a sua alma para conquistar o que tanto deseja?

A sua alma vale mais que seu sonho, ou é o inverso? Muitas pessoas encontram dificuldade para fazer essa escolha, todavia ela terá que ser feita um dia por cada um de nós

Vivemos em um mundo adornado de tentações, desejos e provocações, o que faz com que sejamos incitados todos os dias a sermos conquistadores. Desta maneira, nos transformamos em criaturas que existem apenas para ajuntar tesouros que nem sempre são tão valiosos como parecem ser.

Por esse motivo o homem moderno é melancólico, desequilibrado e totalmente desprendido de sua afeição natural, porquanto inverteu a ordem lógica das coisas, fazendo com que seu lado de fora se tornasse muito mais importante do que seu lado de dentro. Em outros termos, a essência (caráter) está sendo substituída pela ostentação (materialismo), ou seja, a honestidade, a bondade e a justiça são inferiores ao glamour, o status e a beleza. Desta forma, pouco importa se você é um mau cidadão, desde que você tenha as ferramentas necessárias para se “destacar” perante a sociedade.

Assim sendo, os princípios éticos e morais ficam sempre em segundo plano, pois a supremacia absoluta pertence ao ajuntamento dos tesouros materiais aqui existentes.

Como funciona nas organizações

Muitos atalhos começam a aparecer dentro do ambiente corporativo, de modo que nossas escolhas tem o poder de mudar nossa trajetória para sempre e nos causar inúmeros arrependimentos.

Em minha caminhada profissional tenho observado que existem três tipos de pessoas nas organizações, a saber: as inteligentes, as sábias e as ignorantes. A primeira casta tem como objetivo o equilíbrio, de forma que ela cumpre os procedimentos à risca sem se desviar do caminho, porém aproveita as pequenas brechas que sobram para crescer. A segunda é extremamente prudente e cautelosa, desta maneira ela apenas cumpre os processos acordados, sem se desviar do trajeto. Já a terceira tem a mentalidade de que para conquistar o que deseja simplesmente “vale tudo”, ou seja, ela é capaz de passar por cima de qualquer coisa para conquistar seus objetivos.

Compartilharei um fato que presenciei em minha caminhada profissional para complementar melhor o parágrafo acima: certa vez, eu conheci dois profissionais, um introvertido e o outro totalmente o inverso. Assim, o primeiro era conservador e seguia as regras da organização à risca, sempre buscando evoluir gradualmente, mesmo ostentando um cargo modesto. Sua imagem me lembrava um rouxinol, tamanha era a sua timidez e serenidade. Já o segundo era uma “águia” e se aproveitava constantemente das oportunidades que a vida lhe dava, não dando espaço para o titubeio (era assim que ele afirmava, com extremo orgulho) e sempre mantendo sua pompa de príncipe (pois era um dos líderes da empresa).

Tudo caminhava normalmente até que um dia ocorreu um fato inusitado: o dono da empresa resolveu passar os negócios para outra pessoa. Para glória de uns e horror de outros, a personalidade do novo comandante era totalmente antagônica do seu antecessor. Me lembro de seus gestos calorosos e de sua postura firme, que o faziam gerenciar tudo de uma forma que não ouso explicar, pois naquele momento, ele era o homem mais detalhista e minucioso que eu havia conhecido.

Já no primeiro dia de trabalho e mesmo sem ninguém saber de nada ele adentrou a organização e acompanhou os procedimentos fingindo ser um consultor empresarial. Após fazer algumas perguntas e solicitar alguns procedimentos de rotina, ele se dirigiu a sala do diretor e voltou meia hora depois se apresentando como novo líder da organização e convidando algumas pessoas para uma conversa individual em sua sala.

E foi exatamente neste momento que surgiu o fato mais interessante do ano: todos os funcionários haviam sido chamados individualmente, todavia, os dois que citei no início da história verídica que presenciei foram convidados a entrarem juntos na sala, o que causou um impacto em todos aqueles que ali estavam.

Aproximadamente 1 hora depois a águia voltou sem asas e o rouxinol cantara sem cessar: o novo líder havia acabado de promover nosso promissor e virtuoso garoto ao mesmo tempo em que havia demitido seu dissemelhante. Destarte, aprendi uma lição para toda a vida: o mundo nunca para de girar e devemos sim nos preocupar com nossas atitudes, pois elas comprometem todo o nosso futuro, nos trazendo cicatrizes difíceis de serem curadas.

Portanto, que possamos compreender o seguinte: por mais que a “malandragem” e a “esperteza” sejam consideradas qualidades por algumas pessoas, o universo costuma devolver de uma forma implacavelmente inexplicável toda essa carga maligna de volta para seus praticantes, fazendo com que os mesmos colham exatamente aquilo que plantaram.

Logo, o segredo não é buscar caminhos fáceis e sim procurar a estrada certa, acreditando que a bondade e a justiça são soberanas e que existe algo superior que se encarregará de nos retribuir conforme nossas atitudes positivas ou negativas.


Como agir em um mundo onde o dinheiro tem tanto poder?

Obviamente, não quero que as pessoas saiam por ai pedindo esmolas, vestindo pano de saco e morando em uma casinha de papelão, haja vista que precisamos sobreviver e, portanto, precisamos prover os meios necessários para tal empreendimento.

Ser bem sucedido, possuir títulos e aproveitar as belezas desta vida são muito mais do que um direito nosso, é um dever de cada ser humano que aqui se encontra. Ora, se estamos sob dois julgos: o terreno e o espiritual, devemos fazer do equilíbrio a nossa âncora, porquanto ambos são como o Yin e o Yang, ou seja, são completamente interligados.

Em outro termos o que quero dizer é o seguinte: não há nada de errado em crescer profissionalmente, contudo não podemos nos contentar apenas com isso, tendo em conta que são simples migalhas perto do que podemos alcançar. Em outras palavras, precisamos acreditar que existe algo maior e mais perfeito do que tudo isso que vemos a nossa volta.

Assim, que possamos nos desenvolver e lograr êxito perante nossos objetivos profissionais, mas tudo isso sem nos esquecermos da parte espiritual, gerando uma sintonia entre o mundo que vemos e o que não podemos ver.


O grande segredo da vida

Sendo propositalmente redundante preciso afirmar o seguinte: o grande poder do homem não está do lado de fora e sim do lado de dentro, de sorte que a aura é a parte mais importante de nossa existência, pois nada é mais perfeito que nosso coração, tendo em vista que é dele que provém o amor e toda a bondade existente no planeta. E de que adiantaria ter todas as coisas do mundo se não tivermos compaixão, misericórdia e, principalmente, justiça em nossas ações? Nos tornaríamos meras máquinas de intuir, ou simplesmente seres inanimados. Foi pensando exatamente desta forma que Charles Chaplin brilhantemente disse: “Não se mede o valor de um homem pelas suas roupas ou pelos bens que possui, o verdadeiro valor do homem é o seu caráter, suas ideias e a nobreza dos seus ideais.”

Isto posto, devemos honrar nossos compromissos, ter senso de justiça pelo próximo, proteger nossos entes mais queridos, estender as mãos para os necessitados, examinar nosso âmago constantemente, trabalhar nossa paciência, bendizer nossos inimigos, ter ousadia e intrepidez em momentos oportunos, ostentar uma mente pura e sem sentimentos de vingança, ter um profundo desejo de mudar o mundo, e, prioritariamente, gerar um sentimento de sensibilidade por tudo aquilo que nos cerca, transformando cenários trevosos em paraísos reluzentes e gerando dentro de nós mesmos, uma capacidade não só para compreendermos a vida, mas principalmente, para senti-la.

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.