Você é bom, e daí?

Ser bom não faz de você um profissional de destaque, muito menos a sua empresa. Sua equipe sim! Haverá um momento que sem pessoas bem preparadas, você se afoga e afunda, profundamente! Cuidado e bons acertos... a começar por essa leitura

Ouço e leio com frequência que vivemos a era disso ou daquilo. Ora, foi a tal era da tecnologia, depois foi a da informação, da excelência e o "escambau” (sendo brasileiro, não há como não fazer o uso de uns palavrõezinhos).

Na verdade, especialistas existem e são muitos. Há, sim, muita gente boa, grandes profissionais espalhados por todo o território canarinho. Porém, você ser bom não faz de você uma pessoa com potencial de ascendência na carreira, seja a sua pessoa um empresário, autônomo ou líder de uma empresa. Abre aspas "esse texto é para quem sonha grande, quer fazer grandes feitos, está disposto a perder hoje para ganhar amanhã e se você não é um desses, não vai entender bulhufas, vaza".

Liderar, ensinar e engajar pessoas, pense numa coisa difícil – multiplique por 10, por 100, por 1000. Você é bom, e daí?

Não basta você ser bom, a sua equipe tem que ser boa, e não no aspecto técnico, tem que ser boa em tudo. Boa no comportamento, boa de conhecimento, boa no quesito técnico, boa espiritualmente, boa gente. E aí meu amigo, o bicho pega, são necessárias doses e mais doses de paciência, com uma boa pitada de tolerância. O que é óbvio pra você, não é óbvio para o fulano ou sicrano, então o óbvio precisa ser dito, todo mês, toda semana, todos os dias e as vezes todas as horas. Ah mas você já ensinou tudo e perdeu a paciência de ter que ensinar de novo? Então levanta da cadeirinha e dê lugar para outro. Se a sua idade já não permite mais ter todo aquele pique para “dar conta do recado”, prepare a transição do seu posto para outro profissional, para o filho, venda a sua empresa, se necessário for!

Você ser bom não faz da sua empresa boa, a sua equipe sim! Pessoas tem níveis diferentes de aprendizado e saber ensinar em meio a tanta miscelânea de personalidades é uma tarefa árdua. O que vale de verdade não é o que você fala ou faz e sim como as pessoas entendem ou interpretam você. Ser somente um bom comunicador ajuda, mas depois de um tempo se não houver congruência entre a sua fala e o seu comportamento, nada feito, assim você não obtém uma equipe “fodástica”, como costumam dizer por aí. Ah, tem que ser muito, mas muito perceptivo também, para saber encaixar as pessoas certas nas funções certas e não conte com o RH, por que se a fulana do departamento de pessoas não for experiente, ela vai usar aquela teoria da faculdade que nem ela entende. Ensinou algo? Peça para que a pessoa explique e ensine você tudo que acabou de ensinar. Vai demorar? Dane-se, invista mais seu tempo nas pessoas, são elas as responsáveis por absolutamente tudo na empresa, na sua vida.

Que ser bom, faça a sua equipe ser boa. Vai lá passar pelos mesmos problemas que eles passam, vai pro chão de loja, vai pro chão de fábrica, vai você para o telemarketing ouvir o monte de cliente chato que existe. Vai abrir e fechar a empresa. E não venha com aquele velho discurso "Eu avisei ele(a) que era não para fazer assim ou assado". Crie procedimentos, tipo receita de bolo, desenhado!

Converse com a faxineira, com o Zé, com as Marias, converse com todo mundo. Se você já fez isso tudo um dia para chegar onde chegou, faça de novo, por que tudo muda e muito rápido, o hoje já virou ontem e o agora já é passado. Como diz o pai de um amigo meu, se alguma coisa parece ser estranha é por que é, então mergulhe a fundo para entender todos os por que's!

Ajude a sua equipe na matemática, no português, os truques da internet, as malícias da vida, os jogos de cintura em situações difíceis, fale sobre as regras da empresa que não estão escritas. Chama a responsabilidade como se fosse o camisa 10 da seleção, numa final de copa do mundo, perdendo o jogo e mete um gol de placa, aquele que cala a torcida sua e a adversária. Seja sincero e não confunda sinceridade com severidade, dá para ser verdadeiro sendo gentil, acredite! Mas é claro que em algumas situações, você terá que bater as mãos sobre a mesa e impor respeito, sua percepção vai determinar o tom da fala e o toque dos gestos.

Eduque, treine, oriente, cobre, inspire, mande embora, só não culpe a sua equipe, por que o problema é seu!

Quando eu falo inspirar, é fazer a sua equipe querer ter as suas virtudes, a sua visão, a sua sensibilidade, a sua coragem de tomar decisões, a sua serenidade diante dos desafios, ver em você um “cabra da peste", que não tem medo de errar e que quando erra assume que errou, até por que o erro, faz de você um ser humano. O importante é acertar muito mais que errar!

Você é bom, e daí, faça a sua equipe ser boa!

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento