VOCE CONFIARIA A ADMINISTRAÇÃO DE SEUS ESTOQUES AOS SEUS FORNECEDORES?

VOCE CONFIARIA A ADMINISTRAÇÃO DE SEUS ESTOQUES AOS SEUS FORNECEDORES? Quais seriam os motivos pelos quais você não confiaria o controle e a reposição de seus estoques pelos fornecedores? Talvez eles iriam sobrecarregar seus estoques para faturar mais ou talvez colocar produtos de baixa qualidade ou próximo da data de vencimento se fosse um supermercado, ou não iriam atender com quantidade suficiente nas sazonalidades ou iriam sobrecarregar com produtos de baixa rotatividade. Mas, se tudo isso ocorresse, qual seria o comportamento do cliente ou consumidor final; hora tem produto hora não, qualidade baixa, tanto no consumo ou produto final no caso de industria. Será que esse fornecedor teria venda por muito tempo? Para a cultura brasileira este processo ainda criaria alguma desconfiança, mas acredite, isto em breve será largamente adotado. A cadeia de lojas Wal-Mart nos Estados Unidos já pratica isso, pois existe confiança de ambos os lados, é uma parceria bem sucedida. A Wal-Mart trabalha com muitos de seus fornecedores dessa maneira, vamos citar como exemplo o caso do fornecedor PepsiCo, que faz a administração dos estoques, combinando as informações das caixas registradoras automáticas de cada loja da Wal-Mart com os padrões habituais dos varejistas de todo o país. A Pepsi assumiu a responsabilidade de entregar para a rede a quantidade de produtos necessária; produtos em excesso tomam espaço no armazenamento; produtos de menos causam prejuízos de vendas e desapontamento dos clientes. Deixando de administrar o controle de seus estoques e passando essa função para fornecedores escolhidos e confiáveis, tanto a Pepsi como a Wal-Mart obtiveram vantagens. A Wal-Mart eliminou os custos do monitoramento e manutenção de seus estoques, e o armazenamento de refrigerantes é gerenciado mais eficazmente pela Pepsi, que é melhor nisso, pois é o seu negócio e é a maior interessada. O espaço foi liberado no centro de distribuição da Wal-Mart e sobra dinheiro para financiar os estoques de outras mercadorias. A Pepsi agrega valor ao refrigerante que fornece á Wal-Mart por meio da administração do processo de controle de estoque. E o que ela ganha com isso?. Como fornecedor preferencial, a Pepsi consegue melhores pontos nas lojas e total cooperação para promoções especiais. Com as informações conseguidas sobre a demanda de seus produtos, a Pepsi pode organizar suas operações de engarrafamento e distribuição mais eficiente. Em vez de grandes carregamentos, o refrigerante chega às lojas em lotes menores, porém mais freqüente. Os consumidores potencialmente beneficiam-se com preços mais baixos e produtos mais frescos. O faturamento é gerenciado pela própria Pepsi, sem a necessidade de uma ordem de compra antecipada pela Wal-Mart. Esse procedimento evita incontáveis horas de trabalho burocrático, especialmente para produtos cujos preços são flutuantes. Quando as empresas brasileiras, fornecedores e clientes, entenderem que a parceria é a única solução para bons negócios e satisfação do cliente final, então as coisas começarão a mudar. Este processo com pequenas adaptações poderá ser implantado com muito sucesso também nas indústrias, onde o lucro dos empresários serão maximizados e os clientes beneficiados com preços mais acessíveis. (matéria extraída do livro Administração de Recursos Humanos-Pag. 77 de George T. Milkovich e John W. Boudreau tradução de Reynaldo C. Marcondes Editora Atlas.). Autor: Cláudio Raza; Administrador de Empresas, Economista, Contador, Pós-Graduado em Gestão de Pessoas para Negócio, Professor Universitário, mais de 35 anos assessorando empresas.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.