Café com ADM
#

VIVA O EMPREENDEDOR!

Sempre que entro em uma nova turma de Empreendedorismo pergunto aos alunos quais deles são empreendedores e quase sempre o resultado é o mesmo: dois ou três se manifestam como tal. Porque será que as pessoas não se acham empreendedoras? Para começar a responder essa questão, é preciso entender o que significa empreender. Segundo o dicionário , diz respeito a deliberar-se a praticar, propor-se, tentar (empresa laboriosa e difícil); pôr em execução. Quem é que nunca praticou nada? Não se propôs a tentar algo? Partiu para a execução? Todo mundo com certeza já empreendeu em algo, pelo menos uma vez na vida. Agora, é importante distinguir o agir empírico, do empreender com efetividade. O primeiro é um exercício do tentativa e erro, ou acerto. Extremamente aleatório e incerto. O segundo, passa antes por análises, estudos, planejamento e depois para uma ação controlada e cuidadosa visando o cumprimento do objetivo fixado. Mesmo empreendendo com efetividade o resultado não é garantido. Por vezes se atinge apenas parte dos objetivos ou se chega a destinos inesperados, mas não de todo ruins. Por fim, há os casos de fracasso, que fazem parte da ação empreendedora.
Só não erra quem não faz e quem não faz, na maioria das vezes, erra por não tentar! Estamos sempre empreendendo e nem percebemos. Quantas vezes chegamos em uma encruzilhada na vida e temos de optar por dois ou mais caminhos, todos com riscos e potencialidades? Quem nunca olhou para um processo ou um trabalho rotineiro e viu melhores maneiras de realizá-lo? Quem nunca teve uma percepção dos desejos e necessidades de outras pessoas e depois descobriu que sua intuição era correta? Quantas vezes já cismamos em fazer uma coisa e só conseguimos realizá-la depois de várias tentativas? Quem nunca entrou em um projeto com tanta determinação que acabou contaminando outros com a dedicação e produtividade? Quantas vezes acordamos pela manhã com aquela vontade enorme de ficar na cama mas levantamos e vamos à luta? Isso tudo é empreender e vem mostrar que estamos sempre empreendendo. A diferença entre as pessoas que empreendem tem a ver com os resultados. Há os que acertam, os que erram e os que nem tentam. Esses últimos são os mais sofridos, pois acabam enchendo sua mochila da vida de e se..., ou seja, ficam sempre avaliando como estariam caso tivessem tentado fazer algo que resolveram nem tentar. Ou que tiveram medo e recusaram. Ou ainda que tiveram preguiça e deixaram passar a oportunidade. Alias, isso nos leva à questão dos pecados capitais e sua relação com os empreendedores. Considerando os pecados capitais soberba, luxúria, avareza, ira, preguiça, inveja e gula como podemos relacioná-los com os hábitos e perfil dos empreendedores? Vamos analisar cada um deles e entender:

SOBERBA (Orgulho excessivo; altivez, arrogância, presunção): Ninguém sabe tudo! Ninguém é detentor de todos os recursos, habilidades e competências! Ninguém é melhor do que o outro! Somos todos incompetentes, só que em coisas diferentes! É preciso ter auto-estima, mas é importante apreciar e respeitar o próximo. Não há empreendedor que se faça sozinho. Sempre precisa de ajuda! LUXÚRIA (Incontinência, lascívia; sensualidade; libertinagem): Culto ao HEDONISMO! (doutrina que considera que o prazer individual e imediato é o único bem possível). Todo empreendedor sabe que o prazer é necessário, mas que precisa ser merecido (conquistado), comedido e justo. É preciso pensar em si e buscar o prazer pessoal, mas é sempre bom lembrar que temos uma missão a cumprir: Diminuir a injustiça social e econômica que reina em nosso país!

AVAREZA (Excessivo e sórdido apego ao dinheiro; falta de generosidade; mesquinhez): Os fins justificam os meios já dizia Maquiavel pelos idos de 1512. Lucrar a qualquer custo significa optar por uma atitude BÉLICA de derrotar o próximo visando o sucesso próprio. Oprimir, burlar, enganar, trapacear são verbos bélicos! É preciso buscar o equilíbrio e sucesso econômico, mas isso não pode acontecer mediante Irresponsabilidade social e Destruição do planeta! Pense nisso: Mais vale ser dono de 1% de algo que valha a pena do que 100% de nada! IRA

(Cólera, raiva, indignação; Desejo de vingança): Ser enérgico e contundente é muito diferente de ser Agressivo e Ignorante! O empreendedor sabe colocar os pingos nos is. Lida com problemas e conflitos de forma direta, franca e sensível. Nunca devemos carregar em nossas mochilas pesos mortos como os da raiva, mágoa e vingança! PREGUIÇA (Aversão ao trabalho; negligência, indolência, morosidade, lentidão, moleza): É o comportamento diametralmente oposto ao verdadeiro espírito empreendedor! Quem quer, SONHA e acredita, nunca tem preguiça! Todo o caminho empreendedor demanda esforço, dedicação e trabalho: COM PREGUIÇA NÃO SE SAI DO LUGAR! O maior engano que existe é pensar que abrindo o próprio negócio se irá trabalhar menos, ser mais livre de horários, ter menos obrigações... INVEJA (Desgosto pelo bem ou felicidade de outrem; Desejo de possuir o bem alheio): Empreendedor tem ADMIRAÇÃO. Nunca tem inveja! Se alguém serve como espelho, mire-se nele e parta para a metamorfose! Lagarta vira borboleta pela determinação e não pela inveja! GULA (Excesso na comida e na bebida; Apego excessivo a boas iguarias): O mercado é um bolo que tem pedaços para TODOS! Conquistar espaço é salutar, mas com ética, competência e PACIÊNCIA! Quem acha que vai abrir um negócio ou empreender em alguma coisa e os resultados serão rápidos e elevados, está gulosamente equivocado! Busque ocupar o espaço almejado com inteligência, competência, inovação, senso de oportunidade e os 3 Ps: Paciência + Persistência + Parcimônia. Como constatamos nos pecados capitais, o empreendedor é antes de tudo uma pessoa um ser humano com limitações, potencialidades, qualidades e defeitos. Para se tornar um verdadeiro empreendedor a pessoa precisa evoluir como pessoa (auto-desenvolvimento); como parceiro (interpessoal); como administrador (técnico); como membro de uma organização e como cidadão (coletividade). Se tornar um SER INTEGRAL: razão, sensibilidade, criatividade, determinação, visão, inovação, planejamento, execução, controle, fé, doação, intuição, equilíbrio, solidariedade, etc. Esse ser integral pode empreender criando a própria empresa; agindo dentro da empresa em que trabalha (intraempreendedor); tirando o máximo proveito dos anos na universidade; ajudando na igreja, na associação de bairro, em ONGs, voluntariado; Se comprometendo em evoluir e crescer todos os dias; fazendo um mundo melhor! Os problemas, obstáculos, limitações... Sempre estiveram por aí! Precisamos superá-los com criatividade e determinação! Ou então, utilizá-los como desculpas para ficarmos na mesmice e na mediocridade. Estamos na Era do Conhecimento, do Fim do Emprego, da Globalização... Não podemos mudar nada disso! O que podemos fazer é torná-los um aliado e não um adversário. Tudo é complexo! O que aparentar simplicidade é porque a visão está míope. Nada funciona sozinho e isolado. Tudo se liga a tudo. O caminho mais curto é também o mais árduo! Não busque atalhos. Não despreze a ética. Não opte pela cartilha de Maquiavel. Entre de verdade no mundo de hoje. Não aceite a mesmice e a mediocridade. Não se contente em ser mais um! Busque ser AQUELE UM. Aquele que faz diferença! Que sobressai da média! Que sonha, acredita e luta pelos ideais! Empreenda, faça e aconteça ou seja apenas mais um na multidão! Não arrume desculpas para adiar ou não fazer! Se estiver no seu caminho, faça! Se você não tem todos os recursos, faça com os que possui! Se o tempo não é suficiente, use o que tiver e avance o máximo que puder! O momento para empreender se chama AGORA. O tempo para se empreender se chama SEMPRE. Corra atrás dos seus sonhos ou contente-se em viver os próprios pesadelos! O mundo é de quem faz, cria, acerta, erra, tenta e aprende com cada momento, cada ação, cada sucesso e cada fracasso! Viva o empreendedor que vive dentro de você! Henrique José Castelo Branco hcastelo@onda.com.br http://web.onda.com.br/hcastelo
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.