Vidência digital? Saber o futuro através das modelagens sociais computadorizadas

Para saber o futuro (pelo menos um aspecto dele) já não é indispensável fazer aquela consulta esotérica com um vidente. Ou melhor, saber o futuro de uma pessoa pode até exigir um vidente paranormal; mas, nada como modelagens sociais feitas em computador para prever a dinâmica, as ações e o funcionamento de toda a sociedade.

Em outras palavras, utilizar simulações de computador para prever o futuro das crises e dos flagelos sociais que periodicamente acometem o mundo.

O objetivo final é reunir dados tanto da internet quanto de registros de comportamentos sociais, além de postos de observação procedentes das mais diversas atividades humanas.

Esta enorme gama de dados vão abastecer um simulador de computador com condições de modelar o funcionamento das sociedades - algo parecido com o que já ocorre com os simuladores largamente empregados na biologia, na física e na eletrônica.

De modo bem simplista, trata-se de softwares altamente elaborados concebidos para prever o destino da sociedade humana. Esta é justamente a proposta da equipe europeia do FuturICT (trocadilho do nome futurista com a sigla ICT que, em inglês, significa Tecnologias de Informação e Comunicação).

A base do FuturICT apoia-se em 16 países por meio da rede de 51 escolas superiores e institutos de tecnologia, além de associações com o setor privado, como o Yahoo e a Telecom Italia. Todos os envolvidos estarão sob comando da University College of London, Inglaterra, e a Escola Politécnica Federal de Zurique, Alemanha.

Curiosamente, esta realidade foi prevista há alguns anos pelo escritor de ficção científica Isaac Asimov. Na saga da Fundação, narrada em três livros: Fundação, Fundação e Império e Segunda Fundação (eleitos, em 1966, como a melhor série de ficção científica e fantasia de todos os tempos), deparamos com a surpreendente genialidade profética de Isaac Asimov ao contar a história do personagem Henri Seldon.

Henri Seldon, devido ao sofisticado conhecimento em matemática e psicologia, é capaz de prever como serão os comportamentos sociais da raça humana nos anos vindouros. Então, graças às previsões deste cientista, o homem encontra-se preparado para evitar uma catastrófica destruição global da sociedade.

Aliás, Isaac Asimov tinha uma personalidade brilhante. Além de escritor, foi também um cientista. Naturalizado americano, nasceu em 1920 na cidade de Oblast de Smolensk, Rússia, e faleceu aos 72 anos em abril de 1992 na cidade de Nova York, Estados Unidos.

Seus primeiros passos como escritor foi em 1931, aos 11 anos de idade. Criou os termos "robótica", "cérebro positrônico", além das "3 leis da robótica". Conceituado como um dos mais talentosos escritores de ficção científica do mundo, deixou um legado de cerca de 500 obras, entre livros e contos.

ExibirMinimizar
aci baixe o app