Venda direta: bom ou mau negócio?

Vivem te convidando pra participar de eventos, apresentações de negócio em salões de hotéis? Descubra um pouco mais sobre as vendas-diretas no modelo multinível e até onde isso pode levar

Infelizmente vivemos em um país onde existe uma forte crise moral.

Politicamente somos envergonhados, e nas ruas isso é refletido pela pouca educação - não leia "estudo" - dos jovens e até mesmo de muitos nem tão jovens assim.

Falar de bons costumes e de boa consciência tornou-se inacreditavelmente "careta" e o que importa é ser feliz, doa a quem doer. Não importa a barbaridade cometida em troca de um algo, sempre levanta-se alguém em defesa de todo tipo de atrocidade. Com uma comunidade repleta de psicólogos que defendem que os fins justificam os meios, falar de caráter tornou-se obsoleto.

E o que esse assunto chato sobre política social tem a ver com vendas diretas ser ou não um bom negócio? Hoje, tudo.

Chegamos em nosso tema: As vendas diretas hoje já aparecem com relevância entre as pessoas com maior potencial empreendedor e geralmente representadas pelo mercado do marketing de rede. O marketing de rede é ovacionado nos livros "O Negócio do Século XXI" e "Escola de Negócios", ambos de Robert Kiyosaki, autor do best seller "Pai Rico, Pai Pobre". Também é citado no best seller "Os Segredos da Mente Milionária", de T. Harv Eker como sendo uma excelente forma de negócio próprio devido aos baixos riscos administrativos. O que antes era uma previsão hoje já é uma realidade e movimenta uma quantidade considerável de produtos em nosso país.

Com o crescimento desta indústria e com profissionais que vão aprendendo o gosto do dinheiro que este mercado proporciona, infelizmente a crise moral vêm aumentando. De centenas de empresas vendas diretas, tiramos a minoria como sérias e relevantes à sociedade. O foco em recrutamento faz muitas pessoas comuns não saberem discernir um bom negócio de uma pirâmide financeira, tamanha ênfase em cadastro, cadastro e cadastro. Hoje, existem dois mercados de vendas diretas em que farei um paralelo.

Imagine dois irmãos, criados pelos mesmos pais, porém com amizades distintas. Um se envolveu com amigos sadios, com boas brincadeiras e aprendeu que o trabalho dignifica o homem. O outro teve amigos que o levaram para um caminho torpe. Nesta história, um deles virou policial e luta contra o que é ruim pra sociedade. O outro, infelizmente, tornou-se "aviãozinho" e logo foi promovido a traficante de drogas, tem dinheiro na mão na hora que quiser e vive tirando sarro do irmão "certinho" que sofre pra viver com seu salário miserável. Qual dos dois é o esperto? Aquele que vive cercado de mulheres mas prejudica centenas de famílias indiretamente ou aquele que apesar de ser pouco recompensado financeiramente, dedica sua vida à ajudar outras pessoas?

Vivemos no mesmo cenário. Nós da indústria do "marketing do bem" vivemos na esperança de que nosso irmão desencaminhado se arrependa. Existem algumas boas e sólidas empresas de vendas diretas onde pessoas honestas e trabalhadoras conseguirão resultados incríveis se trabalharem, participarem de eventos de capacitação e forem sinceras ao levar para o mercado um produto de qualidade com preço justo e acessível. Estes profissionais levarão mais tempo para ganhar "muito dinheiro" com sua rede, mas terão a garantia de que será consistente, justo e que pessoas verdadeiramente terão uma oportunidade de melhorarem suas vidas. Este mercado é muito, muito nobre.

Porém, existem outras centenas de empresas que surgem todos os anos com planos mirabolantes onde o interessante é recrutar, recrutar e recrutar, para que alguns líderes "pioneiros" ganhem dinheiro - muitas vezes, ajudados pela própria companhia com Kits e materiais que desequilibram a democracia do negócio - e com seus bônus, consigam trazer mais pessoas para o negócio. Muito semelhante à uma pirâmide financeira, com a diferença única da existência de produtos e de uma sede física. Porém o triste numa pirâmide não é ser legal ou ser ilegal, é que existirão pessoas que não ganharão dinheiro e que sustentam os espertos que entraram primeiro.
Numa empresa séria de network marketing não importa quando você entrou, basta que você aprenda a fazer o que deve ser feito e trabalhe constantemente e os resultados virão. Seja no part-time ou no full-time, você terá resultados se seguir o que é ensinado. Ganhará, claro, mais que um policial. Mas não irá ganhar mais que um traficante. Que isso fique bem claro.

Sim, as vendas diretas são um excelente negócio se feito com valores e não somente por dinheiro. Consultando o site da ABEVD temos uma noção de quais empresas estão dentre as atualmente sólidas, já é um norte. Dentre elas, escolha a que evidentemente trabalha com valores e que tenha pelo menos cinco anos de atuação com marketing de rede, como ensinado por Robert Kiyosaki (autor de Pai Rico, Pai Pobre) no livro O Negócio do Século XXI.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento