Vencendo o jogo interno

E se Deus ouvisse tudo o que você pensa e considerasse como um pedido para fazer algo por você... Você mudaria sua forma de pensar? Jason Mangrum Dezembro passado publiquei um artigo especial como meu presente de Natal para você que acompanha minhas matérias e o site do MEiO. Você que não se recorda ou não leu, sugiro que leia. O nome do artigo é Retrospectiva 2002. Mais um ano se passou e te ofereço um novo artigo especial para quem sabe, estabelecer uma tradição. Especial porque é para mexer com as estruturas do seu negócio e expandir seus horizontes. Tudo começa com um pensamento. Olhe a sua volta. Tudo o que você vê, começou com um pensamento. Todas as coisas, materiais e imateriais, começam apenas quando você toma consciência delas (pensa nelas), só então passam a fazer parte de sua vida. Neste momento, tem uma conversa acontecendo, entre você e você mesmo, sobre todas as coisas que você toma consciência, até mesmo este artigo. É o que chamo de Jogo Interno, um jogo que você joga dentro de sua cabeça. O caráter desta conversa é que determina o sucesso que você vai obter. Muita gente, joga o jogo da auto-sabotagem, repetindo para si, perguntas e informações que as põem para baixo e as afastam do sucesso. Outras pessoas constroem imagens mentais do que querem obter e vão à luta, até conquistarem o objeto do seu desejo. Para que um pensamento se torne uma coisa, depende da pessoa que teve este pensamento e do que vai fazer: entregar-se aos pensamentos do tipo não vai funcionar, não vai dar certo, ou aceitar os desafios que se apresentam para tornar um pensamento em algo palpável. Como é que você joga? Pegue uma coisa simples como uma lâmpada. Thomas Edison tentou centenas de vezes até acertar, erro após erro, até que finalmente acertou. Alias, acertou centenas de vezes, em cada patente e invenção. E tudo o que ele fez, foi seguir seus pensamentos até o fim. Ele sabia que poderia errar dezenas de vezes até acertar, mas ele sabia que se persistisse acertaria, cedo ou tarde. Edison era um mestre no Jogo Interno. E você, como joga o jogo interno? Você cria em seu pensamento uma imagem positiva daquilo que você quer obter ou fica se repetindo isso não vai dar certo? Se estiver se alimentando de pensamentos negativos, comece agora a mudar. Pare e pense no que você quer conquistar. Qualquer coisa, contanto que te faça bem e às pessoas envolvidas. Elabore bastante sobre o que deseja, a ponto de fazer uma imagem mental bastante clara daquilo que você quer. Em seguida, preste atenção aos pensamentos que aparecem e descubra que tipo de jogador você é. Flexibilidade é a chave Outro dia, um senhor foi no programa do Jô e nos contou que Juscelino Kubitscheck só colocou a construção de Brasília em seu plano de metas após ser perguntado, durante o seu primeiro comício, se cumpriria à constituição de 32. Ele poderia não saber que isso significava levar a capital para o interior, mas ele sabia que poderia fazê-lo acomodando essa nova meta em seu jogo interno. Após o comício, JK colocou essa meta em seu plano que não ficou apenas como uma promessa de campanha, cumpriu-se. E hoje é uma das maravilhas arquitetônicas da idade moderna, que impressiona as pessoas de todo mundo. Você pode ajustar o Jogo Interno para alcançar qualquer objetivo que deseja, contanto que aprenda a jogar. O Mahatma Ghandi é mais um exemplo de supremacia do Jogo Interno. Seu incrível feito - a independência da Índia sem reagir à violência dos colonizadores ingleses - foi conquistado graças a sua crença em seu jogo interno. Ele sabia que estava fazendo a coisa certa e que triunfaria se mantivesse seus princípios, apesar da opressão sofrida pelo povo da Índia. Manteve a fé e o pensamento positivo e conquistou a vitória, sem violência. Estes exemplos devem servir para você ver a importância de aprender a jogar bem o Jogo Interno. O jogo nada tem de místico ou esotérico. É um mecanismo mental que todas as pessoas têm acesso. A questão é que muita gente nem toma consciência deste bate papo interior e se deixa levar pela auto-sabotagem. Não permita que isso aconteça com você. Domando o lado negro Jason Mangrum nos ensina uma formula simples para lidar com os pensamentos que nos levam a perder o jogo interno (os pensamentos negativos). Ao perceber que estes pensamentos contaminando sua consciência, basta repetir para si mesmo: - Reconheço este pensamento e o dispenso. EU ESTOU no controle (em suas próprias palavras e de forma que lhe seja confortável). Quando você toma uma atitude baseada em uma decisão consciente, você está no controle. Quando você permite que pensamentos negativos te peguem e fica pensando neles, dando energia a eles, você perde o controle. Tome o controle de sua vida e do Jogo Interno e tudo que desejar estará ao seu alcance. Agora é com você. Olha dentro de sua mente e veja como está jogando. Aja de forma positiva para alcançar um estado mental que colabora para que conquiste tudo que, de fato, você merece. Boas festas!

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Thiago Thiago

    Thiago Thiago

    Thiago Barreto é lider de grupo de produção e qualidade em Olinda, PE. Formado-se em Administração com pretenção em uma especialização em controle de qualidade e produção, tem experiência como lider motivacional, desde 2004 nas cidades de Fortaleza, CE e Olinda,PE.
    café com admMinimizar