Uma confraria de criatividade e inovação

Em tempos de crise, a criatividade pode salvar os negócios de pequenos empresários, ou até mesmo dar visibilidade e alavancar as vendas

Para manter seu negócio competitivo e atraente ao consumidor, as empresas têm investido cada vez mais recursos financeiros e humanos em inovação, novas tecnologias e criatividade. Em tempos de crise, a criatividade pode salvar os negócios de pequenos empresários, ou até mesmo dar visibilidade e alavancar as vendas. De acordo com Peter Drucker, “a inovação mais produtiva é um produto ou serviço diferente, criando um novo tipo de satisfação, ao invés de uma simples melhoria”.

Por falar em criatividade, e levando em conta a máxima de que brasileiro é um povo criativo, o empresário Paulo Pagani foi pra lá de brasileiro. Ele teve uma ideia diferente de seus concorrentes brasilienses, decidiu contratar duas idosas com idades entre 60 e 80 anos para trabalhar como recepcionistas em sua empresa. A ideia veio como homenagem à sua mãe, uma senhora sorridente e simpática. Foram mais de 600 candidatas à vaga, e Paulo acabou contratando 22 senhoras para o seu estabelecimento. Atualmente, o negócio é um sucesso na cidade devido ao atendimento amável e ao ambiente acolhedor proporcionado pelas senhorinhas, que atendem a todos com muita simpatia.

Entretanto, Paulo é apenas um entre tantos brasileiros criativos no país que usam essa criatividade a favor da inovação. E aí está o x da questão: ser criativo não significa ser inovador, pois o produto ou serviço precisa ser implementado para que seja um gerador de valor, é necessário que as ideias ganhem o mundo. De acordo com relatório do The Global Innovation Index 2015, o Brasil está na 70ª colocação no ranking global de inovação, havendo uma queda em relação a 2014.

Não é fácil ser criativo e inovador e ainda manter sua empresa competitiva, mas o exemplo do Paulo deixa claro que os consumidores querem se sentir prestigiados. E eu não sei se ele já tinha ouvido falar de Drucker, mas com certeza ele ouviu a sua mãe, e aprendeu muito por sinal.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento