Uma breve reflexão sobre coragem e empreendedorismo

Uma breve reflexão sobre coragem e empreendedorismo objetiva destacar algumas característica humanas que nos fazem tomar decisões.

Um bebê precisa ser vigiado a todo momento pois não conhece os riscos que corre ao decidir pendurar-se em uma janela a 25 metros do solo. Um jovem tem um impulso empreendedor e sente-se preparado para enfrentar todos os desafios, e isso deve-se, em parte, por não saber de todos os riscos que uma decisão mal tomada poderá acarretar. Já na fase adulta, com uma certa maturidade, acompanhou diversos jovens serem bem sucedidos em suas empreitadas e centenas de milhares de outros jovens, por outro lado, fracassando em diversas outras empreitadas.

Este homem, agora ciente de que os riscos são reais, fica angustiado em saber que poucos são os que obtem sucesso. Outros tantos, apenas sobrevivem. E a grande maioria, sucumbe tão logo inicia sua empreitada. A sua angustia é fruto dos seguinte questionamentos: A quê podemos atribuir o sucesso de uns poucos e o fracasso de tantos outros? Seria competência? Sorte? Engajamento? Capacidade de se financiar? Não seria nada disso? Ou seria tudo isso junto? Bem, a resposta certa eu também não tenho. Se tivesse que apostar, apostaria na somatória de todos esses adjetivos.

A questão é: conhecer todos os riscos nos faz temer diante dos desafios? Sim, sem dúvida!

Então, o que fazer? Preferir a ignorância ao conhecimento? Bem, sinto dizer que neste momento sua preferência não fará nenhuma diferença. Pois, você em algum momento, optou pelo conhecimento.

O que você precisa fazer é tomar coragem! Isso mesmo, coragem!

Segundo a gramática, a palavra “coragem” tem sua origem no Latim CORATICUM, e possuia o mesmo significado. Este termo latino é composto por COR, que significa “coração” e o sufixo –ATICUM, que é utilizado para indicar uma ação referente ao radical anterior. CORATICUM seria, literalmente, ação do coração, isto porque acreditava-se que era neste orgão que a coragem se alocava.

Só precisa de coragem àquele que enfrenta aos desafios sabendo dos riscos que corre. O bebê e o jovem não precisavam ter coragem. Eles simplesmente ignoravam os riscos.

A coragem, ou a pré-disposição pelo risco, é o que define o empresário bem-sucedido, do bem-sucedido empregado que trabalha pra sua empresa.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento