Café com ADM
#

Turismo esportivo em Floripa

RESUMO Este estudo tem como objetivo principal a formação de um calendário de eventos esportivos em Florianópolis durante o ano inteiro, ou seja, daremos uma outra abordagem ao turismo de Florianópolis. Ao invés de dar ênfase única e exclusivamente no turismo de temporada (verão), vamos mostrar a possibilidade de se abordar o turismo de esportes o ano todo. Começaremos com uma breve introdução do que é feito atualmente em termos de turismo esportivo em Florianópolis, logo após falaremos da importância de um planejamento estratégico, também de como poderá ser estruturado o calendário anual esportivo, e por fim considerações finais sobre o estudo PALAVRAS-CHAVE Turismo esportivo, planejamento estratégico e parcerias. 1 INTRODUÇÃO As atividades ligadas ao esporte estão a cada dia que passa atraindo pessoas, afim de assistirem, participarem, divertirem ou simplesmente analisarem eventos esportivos. A ilha de Santa Catarina por ser uma ilha onde vários tipos de modalidades esportivas são muito favoráveis, seria muito interessante que as pessoas que detém o poder incentivassem que nossos empresários investissem em campeonatos de surf, regatas, Copa Davis, futebol, etc. Com isso haveria geração de emprego, muita movimentação financeira e o que é mais importante não ficaríamos dependendo somente do turismo da temporada de verão, que a cada ano que passa parece que está cada vez mais nivelado por baixo. Segundo KUAZAQUI (2000), "Cada vez mais as atividades esportivas tem atraído adeptos e curiosos. Os grandes campeonatos mundiais, a Copa do Mundo e outras práticas esportivas, como as corridas, vôlei e similares, tem atraído turistas e consumidores de todo o mundo O que vem sendo feito em termos de turismo esportivo em Floripa, não condiz com a sua grande capacidade. Durante todo ano deveriam haver campeonatos dos mais variados possíveis para atrair curiosos e adeptos de determinado esporte. Um grande exemplo que tem que ser seguido, foi a semana do dia 04 ao 09 de Fevereiro de 2003, que tivemos aqui na ilha, mas precisamente na praia de Jurerê no norte da ilha, dois grandes campeonatos de alto nível: Campeonato brasileiro da classe Lazer (onde o nosso Robert Scheidt foi a estrela principal e também grande campeão) e também o Campeonato brasileiro de vôlei de praia four (que também atraiu um público excelente para ver os melhores jogadores do Brasil). Estes campeonatos deveriam acontecer o ano todo, e o próprio Governo do Estado de Santa Catarina deveria se mobilizar e fazer um extremo esforço para que possamos ter um calendário esportivo durante o ano inteiro. Se tivéssemos uma semana que nem esta que passou durante o ano inteiro, o turismo esportivo seria uma das grandes atrações e também geração de empregos e receita. 2 IMPOTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO O que também devemos alertar é a necessidade de construir um planejamento estratégico para o turismo esportivo na Ilha de Santa Catarina, pois todos os passos que vamos dar tem que ser traçados para que possamos atingir os objetivos almejados e também devemos conhecer nossos pontos fortes e fracos. Um planejamento estratégico para o turismo esportivo em Santa Catarina devem constar 4 pontos básicos: 1) infra-estrutura básica 2) qualidade dos serviços oferecidos 3) eventos esportivos de grande expressão 4) capacitação profissional do capital humano. Em se tratando de infra-estrutura básica, deve-se investir maciçamente para que o desenvolvimento das atividades esportivas e também para que as pessoas que vem atrás destes eventos, seja ele mero espectador ou participante do evento, sejam bem atendidas e fiquem satisfeitas. '' O fator infra-estrutura é muito importante, principalmente em se tratando em eventos internacionais." (KUAZAQUI, 2000) A qualidade dos serviços oferecidos também é muito importante porque um evento do nível, por exemplo de um Iron Man, atrai pessoas do mundo inteiro, e vão utilizar nossos restaurantes, bares, boates, tem que ficarem satisfeitos com os serviços que se oferece para eles. Então estamos vendo que não adianta somente trazer um evento grande, temos sim também que incentivar os negócios periféricos que circundam estes eventos para que também priorizem pela qualidade, que é essencial para a sobrevivência de qualquer negócio. Continuar trazendo mais campeonatos como o Iron Man, o campeonato mundial de surf WQS, regatas de alto nível como da classe Oceânica e Lazer, Copa Davis, campeonatos de pesca, campeonatos de canoagem, jet ski, entre outros. Como observamos existem várias possibilidades de eventos esportivos, que podem ser preenchidos durante o decorrer do ano, onde cada final de semana teria um evento esportivo de alto nível. Um problema que ainda temos é em relação aos nossos trabalhadores que estão desqualificados para trabalharem em eventos destas grandezas, portanto devem ser criados programas para a capacitação e treinamento do nosso capital humano manezinho. Se formos observar na maioria dos empreendimentos turísticos de Santa Catarina a mão-de-obra utilizada é toda de fora, Curitiba, Espírito Santo, São Paulo, e assim por diante. Com este programa de capacitação dos manezinhos iremos dar oportunidades de empregos para aqueles que aqui residem. 3 CALENDÁRIO ESPORTIVO ANUAL A construção do calendário esportivo seria feito em parceria entre a Secretaria de Turismo com a Secretaria dos Desportos em conjunto com empresários e federações. Para que isto possa ocorrer, requer que ambos os setores tanto do turismo como o de esportes, uma cooperação mútua, onde ambas as partes devem trabalhar sinergeticamente. Como cita KUAZAQUI (2000): "Torna-se importante, então, a profissionalização de ambos os setores: o turístico e o esportivo." As duas Secretarias supracitadas, devem definir em conjunto as datas e também quais os eventos esportivos serão realizados em tais datas, além disso, também a busca de parcerias com empresas que apoiem os esportes, para que esses eventos tornem-se viáveis. Um grande problema que ainda temos que lutar, é que o turismo ainda em Florianópolis é tratado de uma forma muito superficial, achando que turismo é feito apenas de sol e mar, e o pior é que os órgãos competentes acham que está muito bom. Uma grande dicotomia que percebemos é que com esse turismo medíocre que estamos acostumados, somos intitulados como sendo "A Capital Turística do Mercosul" 4 CONSIDERAÇÕES FINAIS Se for possível fazer esta abordagem de turismo esportivo, a cidade de Florianópolis ganhará e muito, pois terá turistas durante o ano inteiro, e o mais importante perder aquele pensamento do ilhéu de ganhar somente dinheiro no verão. Muitas balneários de Florianópolios que ficam inativos fora da temporada de verão, poderão vir a funcionar o ano inteiro, por exemplo: um campeonato brasileiro de vela, que ocorrerá na praia de Jurerê, fará com que os negócios que circundam o evento fiquem movimentados. E se além disso estiver pré-estabelecido que haverão 6 etapas durante o ano inteiro, com datas definidas, os estabelecimentos que muitas vezes ficam fechados poderão funcionar em tais datas. Realmente Florianópolis por ser uma cidade privilegiada para sediar eventos esportivos nada mais correto do que utilizarmos o turismo esportivo para trazermos turistas e consumidores não só no verão, mas sim nas quatro estações do ano. Com isso, a nossa ilha da magia teria movimento o ano inteiro, ou seja, além do turismo que é somente turismo explorado na época do verão, teríamos o turismo esportivo que atrairia pessoas no decorrer do ano, gerando receita para cidade sempre. 6 REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA KUAZAQUI, Edmir. Marketing turístico e de hospitalidade: Fonte de empregabilidade e desenvolvimento para o Brasil. São Paulo: MAKRON Books, 2000.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.