Tudo é uma questão de matemática

Seja no âmbito que for, some mais, divida mais e melhor, multiplique as coisas boas e subtraia ao máximo as coisas, pessoas e pensamentos nocivos da sua vida

O problema é que muitos de nós faltamos, pulamos ou fugimos destas aulas. Ou, até tentamos, mas não aprendemos o suficiente sobre as operações básicas.

Matemática vale para tudo, a gente só esquece como faz a conta e não utiliza. Por exemplo, se você comer mais do que consegue queimar, vai engordar. A não ser, claro que você seja uma daquelas pessoas de metabolismo abençoado e que não engorda de jeito nenhum. E mesmo assim, se não comer de maneira saudável e ingerir muita gordura, provavelmente vai ter colesterol alto ou outros efeitos colaterais de sua má alimentação. Ou seja, mais calorias e menos exercício físico é igual a quilos extras.

Da mesma forma, que se gastamos mais do que ganhamos, ficamos sempre zerados ou devendo. Ou, no mínimo vamos perder a oportunidade de fazer uma poupança, previdência privada e investimentos. A conta não fecha.

Dar e receber. Principalmente nestes aspectos, normalmente esperamos que a conta seja equilibrada e igualitária. Você liga e espera que te retornem. Dá carinho e quer carinho em troca. Recebe um presente e devolve com outro ou com afeto ou gratidão. Faz massagem e ganha flores ou café da manhã na cama. Sorri e recebe este reflexo de volta. Doa e dedica tempo, mas quer também tempo e doação do outro. Você escuta, mas também quer ser ouvido. Demonstra interesse, mas espera que o outro também se interesse por você e pelas suas coisas. Você coloca alguém como prioridade, mas quer ser tratado da mesma forma. Você trabalha e quer ser remunerado de acordo com a sua atividade. Você investe tempo, dedicação ou dinheiro e quer retorno.

Se a conta equilibra e fecha bem, surgem boas relações destas trocas genuínas de afeto e atitudes. Se a conta está mais ou menos desequilibrada, é possível fazer alguns ajustes daqui e dali e ter boas chances de sucesso. Mas, se a conta está muito distante de fechar, nos extremos, ou encerra ou provavelmente terá um elemento insatisfeito e infeliz. Isso vale para amizade, namoro, casamento, família e relações de trabalho.

Somar carinho, dividir problemas e responsabilidades e multiplicar as alegrias. Subtrair dificuldades, através da soma de esforços da equipe, multiplicando os resultados. Aumentar atitude, diminuir dúvidas, dividir tarefas e multiplicar a comunicação.

Quando um só da equipe trás resultados e os outros recebem bônus, a conta fecha? Talvez feche a conta numérica para empresa, mas não a conta individual para pessoa. É um pouco a lei da ação e retorno. Se você quer um pouco mais, dê um pouco mais. Se você espera mais, comece se apresentando mais para o jogo. Faça por onde, movimente-se, comece, dê continuidade, seja constante, se envolva, dê oportunidade, surpreenda, conquiste, inove, faça a conta fechar.

Mas, por trás da matemática pura e de expressões numéricas, existem humanos, pessoas frágeis, inseguras, imprevisíveis, complexas, complicadas, medrosas, indecisas. Pessoas que às vezes tem a faca e o queijo na mão, mas não conseguem cortar. E se auto sabotam, perdendo oportunidades incríveis, às vezes únicas.

Comer menos para engordar menos parece simples matematicamente, mas quando envolve uma pessoa, com sonhos, desejos, frustrações, ansiedades e uma mente lotada de histórias, gatilhos, crenças, incertezas e ideias pode se tornar uma missão bastante desafiadora.

Seja no âmbito que for, some mais, divida mais e melhor, multiplique as coisas boas e subtraia ao máximo as coisas, pessoas e pensamentos nocivos da sua vida.

“Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer”. (Trecho da música: Pra não dizer que não falei das flores de Geraldo Vandré).

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento