Terceiro mandamento do líder moderno: aprendendo com a Bíblia

Dando seguimento aos dez mandamentos do líder moderno, apresento um dos mais polêmicos e controversos. O líder moderno deve aprender com a bíblia a "ser justo"

É compreensível quando ouvimos falar que o líder deve ser agregador, que deve ter capacidade para gerenciar e desenvolver sua equipe, ter visão sistêmica e tudo mais... Mas pouco se fala que o líder deve possuir um grande senso de justiça. Talvez isso se deva ao contexto histórico onde ainda não conseguimos diferenciar completamente o líder do chefe. E cá entre nós, o chefe nem sempre é justo.

Quando trazemos a justiça como um dos Dez mandamentos do líder moderno, pensamos num conceito de justiça amplo, não apenas utilizando seu poder para atuar como juíz dententor de toda a razão e soberania, mas também para saber usar esse poder com justiça, de modo que transpareça credibilidade à equipe e que o time saiba que pode contar com um líder que irá mobilizar esforços para consolidar um clima favorável no ambiente de trabalho.

O líder justo, é justo com sua equipe, com seus superiores, clientes e fornecedores, mas sobretudo é justo consigo mesmo, com seus ideiais e valores. Ele deve possuir integridade de caráter, pois o líder que não pode ser fiel a seus proprios conceitos, ou que trái seus valores pessoais, não possui condição de ser justo com sua equipe e levar essa equipe ao sucesso.

Esta é a grande missão de um líder, conduzir sua equipe ao sucesso enfrentando todas as dificuldades e desafios que se apresentarem no caminho, se reinventando a cada instante para buscar soluções que permitam ao time caminhar incansavelmente em busca do objetivo, que deve ser claro e atingível, por mais que demore.

O justo não é imparcial por todo o tempo, a sua imparcialidade dura até que se defina para qual lado a justiça deve ser feita, desta maneira o posicionamento se torna claro e efetivo, pois buscar agradar a todos não se chama justiça, se chama populismo, e esse tipo de líder foi extinto no século passado.

Imagine você agora, que adotado por um rei, se torna príncipe de um grande império, com muito poder, muito dinheiro, e muitos escravos. Até que um dia você resolver ir contra todo o poder de sua familia, desafiar o próprio rei que te tomou como filho, abrir mão de toda a riqueza para se posicionar ao lado daqueles escravos, de modo a libertá-los.

Foi isso que Moisés fez, desafiou seu próprio pai, uniu-se aos escravos, com sua fé castigou os tiranos até a libertação dos israelitas. Mas libertá-los não foi o suficiente, ele os guiou numa fuga histórica, superou todas as adversidades, novamente com ajuda de sua fé, suas convicções, foi capaz de abrir o mar para que sua equipe ultrapassasse, fez surgir água da pedra e descer pão do céu para alimentar aqueles que ele tinha escolhido para fazer justiça.

E assim Moisés faz justiça e leva sua missão ao sucesso quando consegue conduzir o povo de Israel até a Terra prometida, a Canaã.

Não, o prórpio Moisés não chegou ao local, ele morre antes de ver o objetivo atingido.

A justiça de Moisés não ficou em cima do muro, nem pendeu para o lado mais forte ou onde ele possuía vinculos afeivos e familiares. Moisés teve atitudes firmes que o levaram a ser justo sobretudo para com seus próprios valores e crenças, e isto é fundamental para o Líder Moderno.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento