Café com ADM
#

Taxa de Conversão: 4 coisas que Steve Jobs pode nos ensinar sobre otimização

Steve Jobs fez muitas coisas boas, inclusive, construiu um dos mais impressionantes impérios tecnológicos mundiais e produziu uma mudança de vida através de diferentes dispositivos

Steve Jobs é uma inspiração e não é apenas porque inventou o iPhone ou Macbook, que provavelmente você está utilizando para ler este artigo. Steve Jobs pode nos ensinar algumas coisas sobre CRO (otimização de taxa de conversão) e, abaixo, gostaria de elencar algumas coisas sobre isso:

1. Experiência online é incrivelmente importante para conversões

Steve Jobs era um apaixonado por experiência. Uma das qualidades da Apple que mais se destacam é a experiência que cada um de seus produtos provocam nas pessoas. Nenhum detalhe é menos importante. Até mesmo o modo como você remove o plástico do cabo do carregador importa para eles. Todo o processo de desembalar o produto é tido como uma experiência indescritível.

Essa mesma experiência é levada para as lojas físicas da Apple. Se você já esteve em uma loja da companhia sabe muito bem do que estou falando. A Apple não economiza para criar uma atmosfera que melhore a sua experiência como consumidor. Gastar 2 bilhões de dólares (aproximadamente 10 milhões por loja) não é assim tão caro.

Por quê? Experiência!

Esse gasto generoso e a obsessiva atenção dada a cada detalhe possui um ponto importante: a experiência do cliente o leva a conversão. Se o cliente tiver uma experiência prazerosa, eles estarão mais propensos a comprar – ou seja, realizar a conversão.Otimização de conversão realmente tem a ver com experiência. Peep Laja, um especialista neste assunto explica muito bem isso em seu artigo: “Pense sobre a experiência do cliente, não somente em otimização de conversões”.

Quanto estiver procurando uma oportunidade de otimização, veja toda a experiência do cliente. Cada detalhe da experiência dos clientes é o seu momento de verdade.

Quando você aperfeiçoa a experiência dos seus clientes na web, você está trabalhando diretamente em um dos mais importantes aspectos de otimização de conversão. Foque na experiência e as conversões lhe seguirão.

2. Medidor de palavra individual

Jobs era um mestre em psicologia. Ele tinha uma percepção aguçada sobre os desejos dos clientes – e até mesmo os desejos que eles não sabiam que tinham. Veja uma nota do blog TruConversion:

Steve Jobs é famoso por muitas coisas, mas era famoso também por dizer “e você pode ter esse modelo por APENAS 599 dólares.” Notou o uso da palavra “apenas”? O ponto é: Jobs sabia exatamente quão importante algumas palavras individuais são no processo de venda, de um lancámento ou quando discutimos sobre um produto.

Não existe nenhum lugar onde este princípio seja mais óbvio do que na otimização de taxa de conversão. Um dos ingredientes essenciais para altas taxas de conversão em site, em landing pages está no título. Na forma como as pessoas encontraram aquilo que é demonstrado.

Eu testei milhares de títulos durante esses anos e presenciei um crescimento massivo em taxas de conversão como resultado. Por exemplo, quando eu ajustei o título do KISSmetrics, minhas conversões dispararam 40%! Pequeno ajuste, enorme mudança.

3. Conhecer seus clientes é essencial para vendê-los um produto

Tratando-se de conhecer seus clientes, Steve Jobs era imparcial. Algumas pessoas diziam que “Steve Jobs não escutava seus clientes”. Talvez isso seja verdade. Mas caso ele não ouvisse, ao menos sabia o que eles queriam. De fato, ele os conhecia tão bem que sabia até o que eles não sabiam que queriam.

Confuso? Veja o que Jobs dizia: É muito difícil planejar produtos com foco no coletivo. Muitas vezes as pessoas não sabem o que querem até que você os mostre.

Essa citação não quer dizer que Jobs desconsidere esses clientes. Ao contrário, ele tinha um senso tão intuitivo do que seus clientes queriam de forma que o permitia a inovar além de seus sonhos mais exorbitantes.

Ao invés de esperar pelo feedback dos clientes e deixar que diga a ele o que desejam, Jobs entendia as necessidades de seus clientes, as suas paixões e esejos instintivamente. Então, ele os entregava. Jobs era inovador de tal forma que ia além da capacidade de imaginação do cliente. Isso significa que ele conseguia criar um produto que era exatamente o que o cliente não sabia que precisava.

Seja qual for seu nível de inovação, não existe nada que possa substituir o conhecimento profundo dos seus clientes. Quanto melhor os conhecer, intuir e antecipar seus desejos, melhor capacidade terá de convertê-los.

4. Simplicidade é melhor

Alguma vez você admirou a simplicidade de um Macbook ou a forma suave de um console de Apple TV?

Simplicidade. Isso é uma coisa linda. Tal simplicidade veio diretamente do brilho próprio de Jobs. Veja o que ele disse:Este tem sido um dos meus mantras – foco e simplicidade. O simples pode ser mais difícil e complexo; você tem que trabalhar duro para manter seu pensamento claro e fazer isso ser simples.

A ciência e as pesquisas confirmam essa afirmação. Fluência cognitiva sugere que simplicidade é algo que o cérebro almeja e responde. Isso é verdade, especialmente em otimização de conversão. Como Peep, na ConversionXL explicou: Websites simples são cientificamente melhores.

Melhor em que sentido? Eles melhoram as conversões. A mente humana tem uma notável capacidade de perceber a beleza, funcionalidade e facilidade de uso. No instante em que isso acontece é exatamente o instante em que o cliente decide realizar a conversão ou não.

Mais simplicidade significa melhores conversões. Steve Jobs entendia isso do ponto de vista de desenvolvimento do produto. Nós faríamos bem em aplicar do ponto de vista da otimização de conversões.

Conclusão

Você não é Steve Jobs e, para ser honesto, Steve Jobs não era um expert em otimização de conversões. No entanto, podemos aprender sobre seu gênio e aplicar essas lições para nosso ofício de otimização de conversão.

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.